janeiro 26, 2013

PARA MALES NAS UNHAS, UM REMÉDIO NATURAL



Quantos de nós, ao passear pelo campo, não encontrámos malmequeres destes na beira dos caminhos?
Tenho pena de não saber o nome verdadeiro nem o nome científico, mas conheço-os bem desde que tive de fazer um tratamento naturista a uma Displasia Mamária.
Passados muitos anos tive um problema numa unha: um fungo qualquer alojou-se junto da unha do dedo polegar. A carne crescia como se fosse um calo e doía bastante. Eu cortava e a dor aliviava, mas logo crescia outra vez, até que começou a "comer" a unha.
Tinham-se passado mais de 2 anos e eu tinha corrido vários médicos: clínica geral, dermatologista, homeopata, eu sei lá!
Só então, me lembrei de experimentar "as plantinhas amarelas", secas que apanho todas as Primaveras.



Tratamento para unhas
- Prepara-se um saco com água quente. Reserva-se.
- Faz-se uma "boneca" com um paninho (velho) limpo e um punhado de flores amarelas, fecha-se segurando pelas 4 pontas.
- Põe-se um tachinho com um pouco de água a ferver e, com cuidado, banha-se "a boneca" para amolecer as plantas.
- Retira-se e deixa-se arrefecer um pouco, até poder apertar para escorrer o líquido, sem se queimar.
- Abre-se o paninho e quando esfriar um pouco de modo a aguentar a temperatura, coloca-se sobre a unha, com as plantinhas directamente sobre ela. Envolve-se no paninho e coloca-se o saco de água quente, por cima, durante 2 horas.
- No fim desse tempo retire as plantinhas e sem lhes mexer com as mãos, deite-as fora e lave o paninho que servirá para outra vez.
- Pode fazer este tratamento enquanto se senta a ver televisão ou a ler um livro.

Ao fim de 10 dias, estava completamente curada!


No ano passado, voltei a ter um problema na unha. Desta vez, vinha da raiz , escamava e ficava negra.
Como sabem, leva 1 ano a crescer desde a raiz até lá acima, para se poder cortar. Quando parecia que tudo estava bem, lá voltava de novo ao mesmo...
Voltei a fazer o tratamento com as "plantinhas amarelas" e em 10 dias fiquei curada.
Um primo nosso tinha os dedos das duas mãos com as unhas negras e já muito deformadas. Eu falei-lhe neste tratamento e ele fez e curou-se por completo.
O tratamento pode ser incómodo, mas é fácil e não é invasivo. E talvez possa ser útil a alguém que passe aqui pelo Meu Estaminé.
Este tratamento é recomendado para todos os males de pele que não tenham feridas abertas, ou seja, quistos, nascidas e furunculos que estão "a criar", antes de rebentarem.


Se alguém souber o nome destas flores, agradeço a informação. Na minha aldeia chamam-lhes "Pampilhos", mas é um nome regional que nada tem a ver com a Botânica.



Tenham um bom fim de semana. Beijinhos da

Bombom (Tia Fátima ou Avó Fátima)

15 comentários:

Beth/Lilás disse...

Ahhh Bombom querida, nem sabes como gostaria de saber o nome desta florzinha e descobrir por aqui! Penso que seja margaridinhas, mas não vejo com facilidade nas lojas.
Meu marido tem um problema como este na unha do pé, talvez devido a andar calçado muitas horas do dia, mas já fez muito tratamento à base de remédios alopatas e nada, nada consegue efetivamente.
Vamos tentar descobrir o nome científico dela, ok.
beijos cariocas


Lenita disse...

Olá Bomboom,
na foto parecem malmequeres amarelos, dos que crescem selvagens nos campos...será?
Bjs

P.S. Tomei a liberdade de publicar a tua receita de "frango na púcara" na minha página do facebook, e assim validar a tua participação no passatempo.
Também vou colocar o link na área de comentários do post do passatempo. Obrigada.

Silvia disse...

Quando era criança costumava fazer colares com estas flores a que sempre chamei de pampilhos mas não sabia destas interessantes propriedades que eles têm.

Mary - Strawberrycandy disse...

Desconhecia totalmente,...a minha filhota tem a unha do dedo grande do pé, em que a unha ao crescer, cresce sobreposta ao resto da unha, ou seja, não cresce direitinha. Será que resulta fazer este remédio natural?
Beijinhos
http://strawberrycandymoreira.blogspot.pt/

luci disse...

Adorei a dica gostaria de saber o nome da plantinha também
Bom domingo
beijos

Susana Antunes disse...

A blogosfera é mesmo fantástica...
Estamos sempre a aprender...
Uma dica preciosa...
Vai comigo...
Quando era nova adorava jogar ao malmequer bem me quer :) com elas.
Obrigado por partilhares...
Beijinhos e bom fim de semana

Inaie disse...

as vezes a gente se mata indo de medico em medico quando uma boa receita caseira faz a magica, né?

COZINHAR COM OS ANJOS disse...

Fátima, sempre com as dicas tão interessantes e importantes... na próxima Primavera lá vou eu para o campo apanhar estas flores, o nome para mim é malmequeres, pois quando era criança brincava muito com elas(malmequer, bemmequer, muito, pouco ou nada), mas vou apanhar e secar como tu muito bem fazes, nunca se sabe. Tudo o que é caseiro eu gosto. Muito obrigada por partilhares estas dicas.

Beijinhos

Anónimo disse...

D. Fátima, as florinhas amarelas são Chrysanthemum coronarium syn. Leucanthemum coronarium da familia das Asteraceae. Também existem com flores brancas e amarelas.

Paula_2700 milhas disse...

Uma dica muito interessante e acessível!

Bom fim de semana.

xunandinha disse...

boa dica milagrosa,parabéns,muitos beijinhos

Anónimo disse...

Olá Bombom,
Fiquei arrepiada ao ver o resultado na filha da Mary, fiquei muito feliz pela menina e também pelos Pais.
Obrigada a SI, por esta receita!
Bjs,
Teresa C.

Anónimo disse...

Boa Tarde,


As flores têm de estar secas para o tratamento que indica?

Obrigada e cumprimentos.
Cláudia

Bombom disse...

Cláudia
Muito obrigada pela sua visita e comentário.
Quando eu fiz o tratamento, foi com as flores secas, por isso foi assim que referi. No entanto, já houve quem tivesse usado as flores frescas e o resultado foi idêntico, pois as propriedades são as mesmas. Se as secarmos, podemos usá-las em qualquer altura do ano, é essa a vantagem. Para as secar devem ser postas espalhadas sobre papel de jornal ou num plástico, em sítio escuro e fresco, pois assim mantêm toda a qualidade e a cor original.
Se tiver alguma dúvida, pode usar o e-mail do blog. Bjs. Bombom

Anónimo disse...

Obrigada pela sua resposta, foi muito amável.

Cláudia