DETERGENTES PARA MÁQUINAS DE LAVAR LOIÇA


De volta à cidade, que as passeatas já se acabaram...

Volto hoje à Cozinha mas desta vez para "lavar a loiça" na máquina, uma tarefa quase diária em muitos lares.
Na hora de escolher o produto de lavagem, devemos ter em conta: eficácia, preservação da Natureza e economia.
De acordo com os testes da DECO publicados na revista Proteste de Outubro de 2018, o grande problema dos detergentes para as máquinas da loiça é que não são amigos do Ambiente: "o zinco e os agentes de conservação são prejudiciais para o meio aquático. Algumas marcas (poucas) mostram que é possível melhorar, ao alcançarem **** ou *** estrelas neste critério. (Bom ou Suf)".
 Dos 35 detergentes analisados, 27 tudo em 1 e 8 simples, apenas 3 revelaram desempenho excelente e 5 são desaconselhados por mau desempenho a remover a sujidade.

Os melhores do teste:

1 - SUN Expert Extra Shine - 0.37 cent /lavagem --- 75 pontos
2 - SUN All-in-one Extra Shine & Protect - 0.31 cent./lavagem --- 75 pontos
Estes 2 produtos são menos agressivos para o Ambiente (***)

3 - SUN All-in- one Regular - 0.23 cênt./lavagem ---70 pontos
4 - SUN Regular - 0.26 cênt./lavagem ----70 pontos
5 - Fairy Platinum Tudo em 1 - 0.29 cênt./lavagem ----67 pontos
6 - Fairy Platinum Tudo em 1 Limão - 0.30 cênt./lavagem ---67 pontos
Estes produtos não protegem o Ambiente (**).

Escolha acertada (relação: qualidade/preço) :

7 - W5 Tudo em 1 (Lidl) - 0.10 cênt./lavagem ----64 pontos
8 - UNAMAT Tudo em 1 (Aldi) ----64 pontos
Estes 2 produtos não protegem o Ambiente (**).

Não aconselhados

APTA Tudo em 1gGel (Intermarché)
APTA Tudo em 1 Limão (Intermarché)
APTA Tudo em 1 Pastilhas (Intermarché)
VISIOR Tudo em 1 Concentrado
DIA Tudo em 1
Estes produtos não removem a sujidade e não protegem o Ambiente (**)

Nota: Os 3 detergentes que preservam a Natureza (****) são:SUPER POP Oxiplus (62 pontos), AUCHAN Tudo em 1 Limão (60 pontos), Auchan Tudo em 1 Frescura (57 pontos).
Nos testes de lavagem estes produtos não são tão eficazes a remover a sujidade.

DICAS para obter os melhores resultados de lavagem, da responsável pelo estudo, Sílvia Menezes:

1 - Limpe o filtro e as borrachas da porta todas as semanas. Evita que os restos dos alimentos presos no filtro voltem à loiça ou se acumulem nas borrachas, danificando-as.
2 - Retire os braços de pulverização da máquina a cada 6 meses. Se estiverem entupidos, a loiça fica mal lavada. De seguida coloque a máquina a lavar, sem loiça e com água quente, para remover resíduos que possam estar acumulados. Este passo é importante se costuma usar o programa eco, que utiliza água mais fria.
3 - Use sal e abrilhantador sempre que a máquina o exigir, excepto se optar por detergentes tudo em 1. O sal impede a acumulação de calcário e o abrilhantador ajuda à secagem sem manchas, quando a água evapora. Se a água da região onde vive for dura, pode ser necessário adicionar sal, mesmo com um produto tudo em 1.
4 - Evite água muito quente. Prefira temperaturas de 30 ou 40º C, pois ajudam a prevenir a formação de calcário na resistência da máquina.
5 - Coloque a pastilha ou a cápsula no compartimento para evitar que comece a dissolver-se na fase inicial, o que compromete o resultado da lavagem.
6 - Plásticos rígidos e loiça com decorações douradas não devem ser lavados na máquina, porque podem ficar com um aspecto riscado e baço.


Espero que vos tenha sido útil esta informação.
Bom fim de semana.
Beijinhos da

Bombom

DETERGENTES MANUAIS PARA A LOIÇA


Mesmo que tenhamos máquina de lavar a loiça, é imprescindível um detergente para lavar à mão.
E na hora da escolha vemos tantos, amarelos azuis ou verdes, mais baratos ou mais caros, concentrados ou ultraconcentrados, que até ficamos com os olhos em bico.
 Muita gente pensa que um bom detergente tem de fazer muita espuma, mas a espuma abundante não significa uma boa lavagem.
A verdade que poucos conhecem é que os principais agentes na luta contra a sujidade são os tensioactivos: os não-iónicos  têm grande capacidade de limpeza, os aniónicos produzem espuma e os anfotéricos minimizam a agressão das mãos. Assim, se lerem os rótulos, ficam a saber que os mais eficazes são os que têm maior teor de tensioactivos.
Importante também é saber se não têm fosfatos para não agredirem a Natureza nem poluirem o Ambiente.

A Deco, Associação de Defesa do Consumidor, fez e publicou na Revista Proteste, testes a 17 produtos dos mais usados para a lavagem manual da loiça.
Aqui ficam os que apresentaram maior eficácia de lavagem (*****), mais económicos  e que têm uma composição satisfatória (***) - podiam melhorar a fórmula para não agredirem  o Ambiente.

1 - Unamat Detergente Manual Concentrado ( 2 gotas/5 l de água = 65 pratos = 0.22 cênt.)
2 - W5 Detergente Ultra Concentrado (2 gotas/5 l de água = 47 pratos = 0.31 cênt.)
3 - Continente Det. Manual Platinium Gold  Concent. ( 2 gotas/ 5 l de água = 37 pratos = 0.39 cênt)
4 - Fairy Lava-loiça Manual Ultra Limão ( 2 gotas/ 5 l de água = 42 pratos = 0.65 cênt.)
5 - Fairy Lava-loiça Ultra Original ( 2 gotas/ 5 l água = 47 pratos = 0.65 cênt.)

Nota - A indicação dos cêntimos significa por lavagem.

Dicas de Lavagem :

Nunca lave a loiça à torneira .
Poupe água: para 5 l de água use 2 gotas de detergente.
Nunca ponha o detergente na esponja (esta absorve-o e gasta mais).
Não enxague a loiça antes de lavar: retire os resíduos com uma toalha de papel.
Para peças delicadas (copos) use esfregões de fibra azul.
Use esfregão de fibra verde para limpar manchas (pode riscar alguns materiais ).
Use esfregão preto para tarefas difíceis (fundo das panelas).
Antes e no final de cada utilização enxague os esfregões para evitar os maus cheiros e o crescimento de bactérias.

Com votos de Boas e Económicas Lavagens.

Beijinhos da

Bombom


NA ROTA DO ROMÂNICO - Parte IV

  O Castro de Monte Mozinho ou Cidade Morta


O Castro de Monte Mozinho, também conhecido por Cidade Morta, é o maior castro romano da Península Ibérica.
A maior parte dos vestígios remontam ao séc. I mas também foram encontrados muitos artefactos de séculos anteriores, nomeadamente desde o séc. V aC (antes de Cristo).
Por essa altura, encontrava-se a Península ainda na idade do ferro, os autóctones viviam em casas redondas cobertas de colmo, agrupadas em pequenos grupos mais ou menos dispersos.


 Castro em Monte Mozinho

Os romanos  estavam muito mais evoluídos, já na idade do bronze e viviam em casas rectangulares cobertas de telha.

 Habitações romanas

Souberam que aqui perto havia minas de ouro e entraram em negociações com os povos da região. Convenceram-nos a deixar os seus pequenos castros e a virem para Monte Mozinho. Aí construiriam as suas habitações próprias (redondas) e os romanos construiriam as suas (rectangulares).
Foi o início do Castro de Monte Mozinho.

Entrada para a cidade

Esta era a entrada principal para o interior da cidade. Sobre o monolito que se vê à direita, existia uma estátua de um guerreiro galaico, da qual foi encontrado um fragmento quando das escavações.  
A peça encontrada está na sala de Arqueologia do Museu de Penafiel.

 Fragmento da estátua de um Guerreiro Galaico (da cintura para baixo)

Neste fragmento, podemos observar o saio e os membros posteriores, numa escultura em granito.


 Acrópole

No cimo do Monte fica a Acrópole, rodeada por um muro que com uma bancada a toda a volta.

 Muro envolvente da Acrópole, com bancada

Durante as escavações foi encontrado um pote de moedas romanas em ouro, numa habitação exterior à cidade, que se encontra em exposição no Museu de Penafiel.

 Pote de moedas romanas em ouro (Castro de Monte Mozinho)

No Museu de Penafiel, na Sala de Arqueologia, podem ver-se inúmeros artefactos de várias épocas, encontrados durante as escavações do Castro de Monte Mozinho. 

 Tenho de referir que fomos muito bem atendidos pelo funcionário do Centro de Interpretação do Castro de Monte Mozinho, que nos iniciou no historial deste território .

Só é pena (e mais uma vez perdoem-me o desabafo) que no local as tabuletas explicativas estejam tão desgastadas que ninguém consegue ler nada do que lá esteve escrito.  

A placa é de metal (duradouro) mas a inscrição é de material plástico que, com o tempo, se deteriora.

 Aqui, ainda se percebe que é a Acrópole, mas nada mais.
Mais uma vez, tanto a Autarquia como o Ministério da Cultura deviam envergonhar-se deste mau serviço público.

Desejo a todos os que por aqui passarem, uma boa semana.
Beijinhos da 
Bombom 

NA ROTA DO ROMÂNICO - Parte III




             

Memorial de Ermida

O Memorial de Ermida está muito bem enquadrado num Jardim público. É um dos únicos 6 exemplares que restam no nosso país, todos nesta zona do Norte do país.
Não se sabe ao certo qual era a sua funcionalidade, pois não se encontrou qualquer registo escrito.
Faz lembrar um altar, mas a "mesa" é arredondada.
Os memoriais estavam situados perto de estradas ou cruzamentos, em zonas de passagem de funerais.

 Pormenor do suporte, do lado direito  - estilo românico rural - decorado com a cabeça de um boi

As características do Memorial de Ermida levam a pensar que foi construído em meados do séc.XIII.

          Suporte da "mesa", do lado esquerdo, com a escultura de uma cabeça de cabra.

Os Memoriais de Ermida, Sobrado, Santo António, Alpendorada e Lordelo, segundo a tradição, estão relacionados com a trasladação do corpo da Princesa D. Mafalda - filha do Rei D. Sancho I e neta de D. Afonso Henriques -  desde Rio Tinto até ao Mosteiro de Arouca onde ficou sepultada.

Nós ainda fomos a Alpendorada e ao Sobrado, mas não conseguimos encontrar os respectivos memoriais. Infelizmente, nem as Autarquias nem o Ministério da Cultura se preocupam  verdadeiramente em dar a conhecer estes Monumentos e a sua História.


Memorial de Ermida

Bom fim de semana.
Beijinhos da 

Bombom 

NA ROTA DO ROMÂNICO - Parte II


Mosteiro de Paço de Sousa


O  Mosteiro de Paço de Sousa foi fundado no ano de 961 (séc. X) e é considerado como sendo um dos maiores legados do românico no nosso país.
É no interior da igreja que se encontra sepultado Egas Moniz, aio de D. Afonso Henriques (1146).
No seu túmulo pode ler-se a inscrição: "dar a vida a troco da palavra mal cumprida".

Porta de Entrada, com as colunas encimadas por esculturas de cabeças de animais. 

Torre sineira do Mosteiro de Paço de Sousa

                       Claustros



Esta ponte antiga que atravessámos para entrar na Igreja e por onde passa um ribeirito, outrora devia ter feito parte da grande quinta do Mosteiro.



 Este Cruzeiro também deve ter feito parte do território do Mosteiro.

Bom fim de semana.
Beijinhos da

Bombom

NA ROTA DO ( ESTILO ) ROMÂNICO - Parte I

Igreja de S. Gens de Boelhe

 O estilo Românico aparece no território que é hoje Portugal em meados do séc. XI, quando Fernando Magno de Leão conquista Coimbra aos Mouros em 1064, mas é já no tempo de D. Afonso Henriques e de D. Sancho I que se dissemina pelo Norte e Centro.
Tem origem em construções monásticas e religiosas e está relacionado com a fase de povoamento e reorganização do território, depois das conquistas de D. Afonso Henriques aos Mouros. 

A Igreja Românica de Boelhe foi construída na segunda metade do séc. XIII e é considerada como um dos melhores exemplares das expressões decorativas do românico rural.

Porta de Entrada com colunatas rendilhadas 

Outro belo exemplo, é a Igreja do Salvador de Cabeça Santa, mandada construir pela filha de D.Sancho I,  D. Mafalda (neta de D. Afonso Henriques), no segundo quartel do séc XIII (cerca de 1230).

 Igreja do Salvador em Cabeça Santa

Em frente da Igreja, ergue-se a torre sineira e do relógio.

  Torre sineira e do relógio, da Igreja do Salvador de Cabeça Santa

Em baixo mostro-vos em pormenor, a parte superior das colunas que suportam a porta de entrada.

 Lado esquerdo da porta 

Os motivos escultóricos de animais, florais e humanos, são típicos do românico rural.

  Lado direito da porta

 E termino por hoje o nosso passeio. Amanhã mostro-vos mais um pedacinho deste Portugal (quase) desconhecido.
Um abraço da 

Bombom 

AS TERMAS DA TORRE - ENTRE-OS-RIOS

Edifício das Termas da Torre em Entre-os-Rios

A Quinta da Torre  onde se situa o Hotel Inatel e as Termas, fica a cerca de 4km de Entre-os-Rios, na estrada que segue para Penafiel.

 Átrio de Entrada

Durante a época em que as Termas funcionam, há Médico diàriamente. É ele que perscreve  os tratamentos.
As águas sulfurosas de Entre-os-Rios, são as que têm o teor de sulfuretos mais elevado do país.
São recomendadas para diversas doenças dos ossos, como reumático, artroses, inflamações osteoarticulares, doenças de pele como a psuríase e outras, e ainda doenças respiratórias, como asma, rinite, sinusite, etc.

 Banheira de Hidromassagem

Um dos tratamentos que fiz foi hidromassagem e não resisti a fotografar uma banheira muito antiga, hoje digna de Museu.

  
Uma banheira em mármore, relíquia dos antigos balneários, em que as massagens eram dadas com a ajuda de uma mangueira.

  
Em frente ao edifício das Termas, ergue-se uma pequena Capela dedicada a Nossa Senhora da Conceição. É muito bonita, como podem ver.

Tenham uma boa semana.
Beijinhos da 

Bombom

  

TERMAS DA TORRE - ENTRE-OS-RIOS

Ponte sobre o rio Tâmega (à esq.), onde ele se encontra com o rio Douro em frente a Entre-os-Rios

Hoje deixo de lado a Culinária para vos falar de Passeios e Paisagens, porque "nem só de Pão vive o Homem".
Depois de um inverno atribulado por causa do reumático e das artroses, fomos "a banhos" para as Termas de Entre-os-Rios que ainda não conhecíamos bem. É um sítio lindo, com imensos lugares a descobrir, na Rota do Românico (que eu desconhecia).

 Fachada do Hotel Inatel de Entre-os-Rios

Ficámos alojados no Hotel do Inatel, o  antigo Palacete do dono da Quinta da Torre, proprietário das Termas e próspero comerciante do Porto.

 Átrio de Entrada - Sala de espera e Recepção

O Hotel  e o edifício das Termas ficam envoltos  pela Mata onde passa um rio afluente do Tâmega. Tem vários espaços desportivos, como um Campo de Futebol e outro de Volley ou Badmington e diversos percursos pedestres onde se pode relaxar e curar o stress, só de olhar a beleza da paisagem.

 O Campo de Jogos e a mata envolvente.

 Este é o campo de Volley e ao fundo à esquerda, pode ver-se uma pequena esplanada ao ar livre.

Tanto o Hotel como as Termas recebem qualquer pessoa mesmo sem ser sócia do Inatel embora os sócios beneficiem de um pequeno desconto no hotel (tanto na estadia como nas refeições).
O ambiente é muito bom e o pessoal é muito simpático e prestável. O preço, em comparação com outros, é bastante acessível.
Gostei e recomendo. Amanhã falo-vos das Termas.

Beijinhos da 
Bombom 

MANTEIGA DE AMENDOIM


A receita de hoje é dirigida em especial à minha neta que é intolerante à lactose.
Como não pode comer manteiga, tem de substituí-la por outros produtos que nem sempre são saudáveis. É o caso da Manteiga de Amendoim industrial que se compra nas lojas: é feita com uma certa percentagem de amendoins e uma grande parte de gorduras trans, as que são saturadas e polisaturadas, e péssimas para a saúde, mais os açúcares que não lhe fazem falta nenhuma. Isto sem contar com os químicos para conservar e os aditivos de sabor.
De todas as receitas que já vi publicadas, esta é a que me parece mais saudável e por isso venho partilhá-la com todos os que me acompanham.
Vem deste blog, que aconselho a todos os que se preocupam com uma alimentação saudável:
http://nemacreditoqueesaudavel.blogspot.com

Manteiga de Amendoim

Para 1 frasco:

290g de amendoins torrados
1/2 c. chá de sal
1 c. sobremesa de stevia em pó (ágave ou mel) - opcional
1 c. sobremesa de leite de soja - opcional

Descasque e torre os amendoins no forno , num tabuleiro forrado com papel vegetal.
Coloque na picadora 1.2.3. os amendoins e o sal e pique durante cerca de 8 minutos, até obter uma pasta.
Inicialmente só vai moer os amendoins, mas à medida que vai continuando a picar, a gordura vai-se libertando e transforma-se em manteiga.
Se gostar da manteiga doce, acrescente a stevia (ou outro adoçante natural)
Se ficar muito espesso, junte o leite, mas se usar mel ou ágave, não deve ser preciso.
Rectifique de sal.
Encha o frasco e guarde no frigorífico durante 2 semanas (se não usar antes).

Nota : Pode variar o sabor acrescentando 1 c. sopa de cacau magro em pó.

Não esquecer que embora saudável, esta manteiga tem muitas calorias, por isso não deve exceder 2 colheres de sopa por dia e deve fazer exercício físico para equilibrar o metabolismo.

Não deixem de visitar o blog da Sara Oliveira que também tem um livro publicado, o" Nem Acredito Que é Saudável".

Tenham uma semana agradável e muito saudável.
Para a minha neta, um grande beijinho cheio de saudades.

Bombom

O MEU PÃO DE LÓ


Na minha mesa da Páscoa não pode faltar o Pão de Ló.
É um bolo muito versátil e fácil de fazer. O importante, ia dizer o segredo, é bater muito bem os ovos com o açúcar (cerca de 15 ou 20 minutos com a batedeira eléctrica) e introduzir a farinha aos poucos, em chuva e envolver delicadamente com a colher de pau, de baixo para cima, até incorporar bem na massa. Outro pormenor importante é que um Pão de Ló só deve estar no forno por 15 minutos para não ficar muito seco.
Se cumprirem estes 3 pontos, terão sucesso de certeza.

Pão de Ló

Ingredientes

6 ovos (se forem grandes podem pôr só 5)
1/2 chávena almoçadeira de açúcar (120g)
1 cháv. almoçadeira mal cheia de farinha de trigo com fermento (150g)
raspa de limão ou 1 colher de chá de extracto de baunilha para aromatizar

1 - Forre uma forma  sem buraco com papel vegetal de culinária; se preferir usar forma de buraco, unte e enfarinhe.
2 - Bata os ovos inteiros com o açúcar até obter um creme grosso e esbranquiçado, com a ajuda da batedeira eléctrica, durante 15 a 20 minutos.
3 - Quase no final, ligue o forno a 180º e depois desligue a batedeira.
4 - Com a ajuda de um passador de rede fina, deite pequenas porções de farinha  em chuva e, com a colher de pau, envolva delicadamente, de baixo para cima (sem bater).
5 - Se gostar, aromatize com raspa de limão ou com 1 colher de chá de extracto de baunilha.
6 - Verta na forma que preparou e leve ao forno durante 15 minutos.

Notas:
- Ao fim de 10 minutos faça o teste do palito. Se sair limpo, está pronto; se não, deixe ficar o tempo restante.
- Se estiver a ficar muito escuro, ponha por cima um pedaço de papel de alumínio.

Se experimentarem, digam- me o resultado.
Boa Páscoa.
Beijinhos da Bombom

FOLAR DOCE DA PÁSCOA


Não podia deixar passar a Páscoa sem Folar.
Desta vez, quis experimentar o Folar Doce da Páscoa da Moira, a dona do blog Tertúlia de Sabores onde gosto de me inspirar (entre outros, claro).
Deixo-vos o link para poderem visitá-la também.
tertuliadesabores.blogs.sapo.pt/46200.html

Folar Doce da Páscoa

Ingredientes:

40g de fermento fresco de padeiro (ou 11g de Fermipan)
100ml de leite morno
75g de margarina derretida
30ml de aguardente (usei vinho do Porto)
2 ovos batidos
100g de açúcar
500g de farinha tipo 55 ou 65 (sem fermento)
1 c. chá de canela
1 c. de chá de erva doce moída
1 pitada de sal (facultativo)

Na Máquina de Fazer Pão

Coloque os ingredientes na cuba da MFP pela ordem indicada :
Amorne o leite e desfaça o fermento de padeiro (ou o seco) e deite na cuba da MFP.
Derreta a margarina 30 segundos no microondas e junte ao leite.
Acrescente a água ardente (ou vinho do Porto), os ovos batidos e o açúcar.
Por cima coloque a farinha, a canela em pó, a erva doce e o sal (se usar).
Programe Massas (na minha é o 6) e acompanhe o primeiro ciclo até a MFP parar após ter batido a massa. Desligue a MFP e programe de novo e deixe que faça o Programa completo.
Isto permite que a massa fique muito bem batida para obter um Folar (ou um pão) muito fofo e leve.
Quando faltarem 5 ou 6 minutos para terminar o programa ligue o forno para aquecer e forre o tabuleiro (ou, se preferir, as formas redondas) com papel vegetal de culinária.
Quando a MFP terminar, desligue o forno. Retire a massa para a bancada polvilhada com farinha e amasse ligeiramente para lhe tirar o ar.
Divida a massa em 2 partes, arredonde em forma de pão e ponha no tabuleiro ou forma escolhida.
Cubra com um pano e meta no forno apagado para levedar e duplicar de volume por cerca de 1 hora.
Ao fim desse tempo, ligue o forno a 180º e coloque no fundo um tacho inox ou pirex com água.
Pincele os folares com gema de ovo batida  (polvilhei com açúcar granulado por cima) e leve-os ao forno durante 45m a 1 hora.
De vez em quando vigie para ver se estão a ficar muito escuros. Para que isso não aconteça coloque um pedaço de papel de alumínio por cima.


A receita da Moira está explicada da forma tradicional, para quem quiser bater à mão.
Se não quiserem ter esse trabalho, podem bater com a batedeira eléctrica com as varas de arame em espiral que são próprias para massas lêvedas durante 25 a 30 minutos.

Santa e Feliz Páscoa para todos os que me visitam.
Beijinhos da

Bombom



AMACIADORES PARA ROUPA E DICAS

Tal como vos tinha prometido, hoje vamos falar dos Amaciadores para a Roupa.
Continuo a basear-me num artigo da revista Proteste da DECO (Defesa do Consumidor).
 
Sabiam "que os amaciadores só funcionam em roupa 100% algodão e em tecidos atoalhados?
Não têm, por isso, qualquer utilidade para a maioria das peças que usamos, normalmente compostas por uma mistura de fibras?
Usar amaciador não traz qualquer vantagem na suavidade dos tecidos."

E sabia que os amaciadores deixam uma finíssima camada na superfície das fibras, que faz com que os tecidos deixem de ser tão absorventes e por isso deve evitar usá-los na lavagem dos panos da loiça?

No entanto nós gostamos do cheirinho agradável que (alguns) amaciadores libertam...

"Seis dos 15 amaciadores testados não deixam a roupa macia nem perfumada.
Só dois se destacaram na suavidade que conferem à roupa: o Dia Concentrado Microcápsulas Azul Intenso (Minipreço) e o Tandil Concentrado para Pele Sensível (Aldi).
Os testes demonstraram que na maioria dos amaciadores os perfumes são voláteis e deixam de se sentir 2 ou 3 dias depois.
Dos 15 testados, só 4 se destacaram na persistência do perfume após 10 dias:
* Confort Intense Fresh Sky (ultraconcentrado) - o melhor do teste com 90% de qualidade.
* Ultra Pro Concentrado Orquídea (Pingo Doce)

* El Corte Inglês Concentrado Oriental
* Continente Concentrado Talco  

Deve ter em conta que os perfumes tornam os amaciadores altamente alergénicos. A DECO aconselha a que não nos deixemos iludir quando vemos nas embalagens "testado dermatológicamente" ou  "hipoalergénico". No 1º caso significa que foi submetido a testes na pele, mas não há método de base reconhecido e obrigatório a todos os fabricantes e para o 2º caso não há uma definição legal nem estão definidos os critérios a cumprir.


Dicas:

- Se usar amaciador só em roupa 100% algodão, (toalhas de banho e rosto), poupará ainda mais no amaciador.
- Se a sua roupa fica áspera por causa da água da sua zona ser muito calcária, adicione uma dose de vinagre na gaveta do detergente.
- Para perfumar a roupa coloque nas gavetas e guarda fatos ou roupeiros, saquinhos de alfazema.

Espero que estes artigos vos tenham sido úteis. O próximo vai ser sobre detergentes da loiça.
Bom fim de semana. Beijinhos da

Bombom



OS DETERGENTES MAIS EFICAZES PARA A ROUPA


Uma das grandes preocupações das donas e donos de casa é como conseguir que a roupa fique bem lavada;  que a roupa branca se mantenha branquinha e não saia da máquina encardida; que fique a cheirar a lavado e perfumada.
Pensando nisto, a DECO - Associação de Defesa do Consumidor - de vez em quando faz testes aos detergentes e amaciadores.
Baseando-me nas últimas revistas Proteste, lembrei-me de partilhar convosco o que tenho aprendido.
Não devo ser só eu a ter problemas com a roupa branca com mau aspecto e é sabido que a lixívia estraga os tecidos e não se pode usar em todas as lavagens.

Segundo os testes feitos a 64 detergentes universais (para qualquer tipo de roupa), 21 são "uma nódoa a lavar roupa" (mais de um 1/3). E dão a "lista negra":
Apta Advance Frescura Natural (Intermarché), Apta Advance Sabão Tradicional, Apta Concentrado Regular, Apta Frescura Natural, Apta Hipoalergénico Roupa de Algodão. Dia peles Sensíveis (Minipreço) El-Corte Inglês Concentrado, Formil Marselha (Lidl), L`Arbre Vert Sabão Vegetal Ecológico, Mistolin Clássico, Persil Perfect Dose, Surf Golden Blossom, Surf Lírios Tropicais, Surf Tropical. Surf Tropical Lily, Woolite Pro-Care, Xau Clássico, Xau Limpeza Total.

Dos restantes, deixo-vos a nota dos 6 melhores do teste:

- Ariel A+ Original (líquido) - o melhor do teste com 70% em qualidade global. Não é o melhor a manter a brancura dos tecidos nem as cores, mas satisfaz; é dos melhores na preservação da Natureza. É dos mais caros.

- Persil Universal (líquido) - 67% em qualidade global. É muito bom em nódoas de gordura e pigmentos e na preservação da Natureza. É bom em sujidade enzimática e na preservação das cores Não é o melhor na sujidade enzimática nem na brancura dos tecidos, mas satisfaz.

- Xeor Flor de Laranjeira (cápsulas) - 67% em qualidade global. É muito bom  nas nódoas de gordura e pigmentos e na brancura dos tecidos. É bom na sujidade oxidável. Satisfaz em sujidade enzimática e na preservação das cores. Não é o melhor na preservação da Natureza.

- Formil Activo (pó / Lidl) - 66% em qualidade global. É muito bom na brancura dos tecidos. É bom nas nódoas de gordura e pigmentos, sujidade enzimática, sujidade oxidável e na protecção do ambiente. Satisfaz na roupa de cor. É eficaz e económico.

- Formil Duo Power Activo (cápsulas / Lidl) - 65% em qualidade global. É muito bom na brancura dos tecidos. É bom nas nódoas de gordura e pigmentos, sujidade enzimática. Satisfaz na sujidade oxidável, na preservação das cores e na protecção da Natureza. É eficaz e económico.

- Tandil Universal - (líquido / Aldi) - 64% em qualidade global. É a escolha acertada devido à relação preço/qualidade. É muito bom nas nódoas de sujidade oxidável. É bom nas nódoas de gordura e pigmentos e na preservação da Natureza. Satisfaz nas de sujidade enzimática e na preservação das cores. Não satisfaz na brancura dos tecidos. É dos mais baratos, embora não seja tão eficaz.

- Epsil concentrado (líquido) - 64% em qualidade global. Tendo apenas mais 0,4 centimos  por lavagem e a mesma nota em qualidade, é para mim mais acertada esta compra porque é das melhores na protecção do ambiente. É bom nas nódoas de gordura e pigmentos, sujidade oxidável e na preservação das cores. Satisfaz na sujidade enzimática e na brancura dos tecidos. É dos mais baratos, embora não seja tão eficaz.

Em 17º e 18º vem o Skip Ultimate Active Clean com 60% em qualidade global.

Como podem ver, a escolha é muito diversificada, mas só um ou dois produtos é que são eficazes a branquear a roupa. E os melhores até são mais baratos ( como é o caso do Formil Activo em pó e em líquido) .

Então, vamos às regras para uma melhor lavagem:
Separar a roupa branca da roupa de cor.
Usar o melhor detergente para roupa branca e outro para a roupa de cor.
Se tiver peças de roupa com nódoas, faça um pré-tratamento em vez de adicionar mais detergente à máquina de lavar roupa:
* Manchas de gordura e pigmentos (óleo mineral, baton, suor, gordura de carne, maionese) - use detergente da loiça ou tira-gorduras.
* Sujidade enzimática (manchas de sangue, chocolate, batata, molho de salada, papa de bébé)- use sal ou água oxigenada.
* Manchas oxidáveis (vinho, café, relva, sumo de maçã, molho de tomate) - use um produto com oxigénio activo , tipo Vanish.
Use o detergente na quantidade indicada pelo fabricante. O detergente em excesso estraga a roupa e é nocivo para o ambiente.
Se optar por um programa curto para roupa sem nódoas, reduza para metade a dose de detergente.


 Melhores detergentes para Roupa de Cor:

 Tandil Ultra Concentrado para Roupa de Cor (Aldi) - 68% em qualidade global. Excelente a preservar as cores escuras e vivas.Eficaz nas nódoas enzimáticas, nas de café e sumo e aceitável nas de gordura, pigmentos e sujidade oxidável.

- Formil Color (Lidl) - 59% em qualidade global. Muito bom a preservar as cores escuras e vivas e aceitável a remover a maioria das nódoas. É uma boa opção para famílias sem crianças. É um produto com reduzido impacto ambiental.

Devo dizer-vos que já experimentei o Formil Activo em pó Lidl) e logo na primeira lavagem já notei diferença na roupa branca.
Hoje ficamos por aqui. Amanhã falaremos de Amaciadores.
Fiquem bem.
Beijinhos da

Bombom (Tia Fátima ou Avó Fátima)