ARROZ DOCE DA BEIRA ALTA

terça-feira, fevereiro 09, 2010

O Meu Estaminé está, finalmente, a ser decorado. O "Arquitécnico" responsável tardou um pouco devido aos afazeres, mas já dá para verem a nova "pintura das paredes". Em breve se iluminarão as montras! E talvez haja Festa de Inauguração (he,he)!

Na minha casa não era hábito fazer-se arroz doce. Às vezes, quando acompanhava alguma colega da Escola a sua casa, ofereciam-me um pratinho de arroz doce que tinha sobejado de alguma festita ou comemoração. Acho que só provei na primeira vez, pois o aspecto deslavado e seco não era nada apelativo.
Um dia, já casada, o marido disse-me que tinha saudades do arroz doce que a Mãe fazia e que era confeccionado só com leite. O problema é que a Mãe dele tinha falecido há muito tempo e eu não sabia a receita.
Nos livros só encontrava receitas em que se abria o arroz em pouca água, e só depois se adicionava o leite. Até que um dia falei à minha Mãe neste meu "problema".
Ela, em conversa com uma colega da Beira Alta, ficou a saber que havia uma receita antiga, em que o arroz doce era cozido só em leite. E ofereceu-ma.
Como fiquei aprovada logo "à primeira", nunca mais deixei de o fazer.

ARROZ DOCE (à Moda da Beira Alta)

1 litro de leite
1 chávena (xícara) de café de arroz carolino (sem lavar)
1 pau de canela
Vidrado de meia casca de limão
2 colheres de sopa de açúcar(ou a gosto)
3 gemas de ovos

Põe-se o leite ao lume com a casca de limão e o pau de canela. Quando ferver deita-se o arroz, mexe-se e deixa-se levantar fervura de novo. Reduz-se o lume para o mínimo e deixa-se cozer por cerca de 25 minutos, mexendo de vez em quando. Nessa altura incorpora-se o açúcar, mexe-se e deixa-se cozinhar por mais 10 ou 15 minutos.
Prova-se e se já estiver cozido, juntam-se as gemas batidas, mexendo cuidadosamente.
Retira-se do lume e deita-se numa travessa ou em pequenos pires e decora-se com canela em pó.

Notas - Deve ficar muito cremoso. Se ficar seco, pode-se ir juntando mais leite.
- Isto só acontece se o lume estiver demasiado quente.
- Dá para cerca de 8 tacinhas ou pires.

Beijinhos.
Bombom = Tia Fátima = Avó Fátima

Talvez Goste de Ler

8 comentários

  1. Ora quanto nao vale um "Arquitecnico" assim!!!Também quero um :((
    Ficou maravilhosa a intura do teu Estaminé amiga!
    PARABÉNS A TI E AO TEU "ARQUITECNICO"!!!
    Que venham as luzes,a musica e tudo a que o teu maravilhoso Estaminé tem direito:))
    Não tenho conseguido tempo pra "conversar" contigo e ainda nao consigo hoje :(
    Já fiz duas tentativas pro queijinho e nao consigo :(( nao coalha!
    Da proxima vez que fizer arroz doce vou fazer como indicas,so com leite!
    Beijinhos e até logo.
    Tina

    ResponderEliminar
  2. Tina:O "segredo" está na temperatura do leite, que deve ser "a da vaquinha" ou seja, cerca de 40°. Não pode é aquecer demasiado, senão não coalha. Eu aqueço o leite e, (com as mãos lavadas, claro, he,he),vou mexendo até ele estar a passar do morno para o quentinho.Aí, apago o lume e junto o coalho: meia colherinha de café é suficiente. Há quem não ponha logo o sal, só já na mesa. Eu prefiro pôr logo no começo, enquanto estou a mexer o leite.

    Obrigada a todas as minhas Leitoras e Amigas pelas palavras de incentivo que me têm dirigido. Bem Hajam! Bjs. Bombom

    ResponderEliminar
  3. Olá Fátima,

    Pois, o "Arquitécnico" sabe bem o que a mãe gosta:)...Está brutalissimo. Tem a cara da "Bombom" Fátima, "estilo" angelical. Já tinha dito mas volto a repetir gosto e muito. Está provado que o bom gosto reina por aí:)Agora, já vi que já comenta;)é bom crescermos, não é?Estou cada vez a adorar mais passar pelo "ESTAMINÉ"...

    Agora a receita do arroz doce. Fátima é tão mas, tão bom termos estas memórias de sabores...Gostei da receita...

    Beijinhos com muito carinho mesmo...

    Isabel de Miranda

    ResponderEliminar
  4. Depois do arroz doce, sugiro agora uma colherzinha de compota de maçã com noz da Mãe Fátima!
    Parabéns pela forma cativante da sua escrita e por este blog tão delicioso!!!
    O papel de parede é lindo!!!
    Beijinhos de uma fã da dita compota!

    ResponderEliminar
  5. Já tomei nota da "encomendinha", mas primeiro vai sair uma receita salgada, também a pedido de "várias famílias".Bjs. Bombom

    ResponderEliminar
  6. Oi querida
    Amo arroz doce, comi muito na minha infância! Excelente receita.
    Um grande abraço
    Léia

    ResponderEliminar
  7. Olá Bombom,
    Adorei a cor das paredes...estão a lindas, a casa está a tomar forma...
    Bjs grandes
    Teresa C.

    ResponderEliminar
  8. Fiquei muito surpreendido de encontrar apenas receitas de arroz doce cozido em água. Ao dar com o seu blog e lendo a receita identifiquei-me com a história. Gostei da receita e se me permite gostava de recomendar algo para tornar o arroz ainda mais divinal.

    Como fazia a minha avó. Ela primeiro diluía o leite com o açúcar (canela e limão conforme os gostos) numa panela diferente. Deixava-o depois sem estar a ferver em lume muito baixo e usava o processo do rissoto. Vertia uma concha deste caldo no arroz e ficava sempre a mexer em lume também brando até que fosse totalmente absorvido. Só depois juntava mais caldo. Repetia o processo até ter a consistência desejada. Requer estar sempre atento, sempre a mexer e muito amor.

    ResponderEliminar