TORTA SALGADA (ROCAMBOLE - BR.)

quinta-feira, janeiro 06, 2011

                 Dia de Reis - postal elaborado por Sara D. de 9 anos

Há quem diga que os portugueses comem demasiado e são capazes de ter razão.
Antigamente, quando as pessoas não tinham tantos transportes e se deslocavam a pé para todo o lado, tinham necessidade de comer em maior quantidade. Depois, com a chegada dos transportes públicos e do carro particular, deixámos de fazer tanto exercício, mas não diminuímos a quantidade de alimentos que ingerimos.
Penso que esta é uma das causas da obesidade que tanto nos preocupa: a falta de exercício.
Por outro lado, habituámo-nos a comer grandes quantidades de carne ou peixe, esquecendo-nos que uma pequena dose diária é suficiente para nos alimentarmos convenientemente. No caso da carne, 100g diários e de peixe 150 a 200g, dão-nos a proteína necessária, se for complementada com os outros nutrientes necessários.
Voltarei a este assunto mais tarde, porque hoje trago-vos a receita de uma torta muito leve e saborosa, que se pode rechear com qualquer sobra de carne ou peixe, camarão ou uns simples cogumelos (tão ricos em proteína e que substituem lindamente a carne).
                 Acabada de fazer, sem decoração


Torta Salgada

6 ovos inteiros 
6 colheres de sopa de farinha com fermento (uso Branca de Neve) 
6 colheres de sopa de leite 
sal e pimenta q.b. 

Recheio 

1 pacote peq. de molho béchamel (uso Continente)
sobras de carne ou peixe (bacalhau incluído); salsichas picadas ou carnes frias; cogumelos ou espargos fatiados... 
1 dente de alho espremido 
1 colher de sopa de leite (fac.)
1 raminho de salsa ou folhas de mangericão

Papel vegetal Glad
1 pano da loiça (pano de prato - Br.) limpo e polvilhado com farinha


Forre um tabuleiro com papel vegetal Glad. Acenda o forno para ir aquecendo.
Abra os ovos para uma tigela, junte um pouco de sal e bata com a batedeira até aumentar de volume e obter um creme bem grosso e esbranquiçado.
Com a ajuda de um passador de rede, vá deitando a farinha aos poucos e envolva delicadamente com a colher de pau. 
Por fim junte o leite e mexa suavemente. Rectifique o sal e acrescente a pimenta a gosto. Verta a massa no tabuleiro e leve ao forno médio (180°) por 8 a 10 minutos.
Logo que começar a cheirar bem, faça o teste do palito. Se sair seco, retire logo do forno. 
Desenforme sobre o pano polvilhado com farinha (para não agarrar) e retire o papel vegetal. Espalhe o recheio e dobre o pano fazendo dobrar um pouco da massa sobre o recheio e enrole como se fosse um caracol, ao mesmo tempo que vai retirando o pano. (Isto é só para os mais inexperientes, não me levem a mal)!


Recheio:
Deite o molho béchamel num tachinho. Deite o dente de alho espremido e uma colher de sopa de leite (fac.) e leve ao lume a aquecer. Quando ferver, junte os ingredientes escolhidos e mexa bem. Retire do lume e junte um pouco de salsa picada ou mangericão. Tempere com pimenta preta moída na hora e rectifique o sal.

Para decorar:
- Num momento de pressa, usei apenas um pouco de Ketchup, folhas de mangericão e azeitonas pretas.
- Fica bem coberta de maionese com pequenas flores de Ketchup, ou com molho de tomate e flores de maionese.


 Notas:

Dependendo da decoração, pode ser um prato de requinte se acompanhado com uma boa salada mista, ou com legumes salteados em manteiga.
É um prato económico e muito nutritivo pois é feito à base de leite e ovos.
Não faz mal a quem sofre da visícula (fígado) se não se abusar dos molhos.
É óptimo para Pic-nics ou para um jantar ligeiro se acompanhado de uma sopa e fruta.
Se gostar do molho béchamel grosso, não inclua a colher de leite.
Acompanhei com ervilhas salteadas e bróculos.


Com votos de que passem um resto de semana agradável.
Beijinhos da 


Bombom (Tia Fátima ou Avó Fátima)















Talvez Goste de Ler

10 comentários

  1. Ficou mesmo perfeitinha a torta :)...
    Parabéns
    beijoca

    ResponderEliminar
  2. Olá a todos os que vão ler este comentário neste blogue ou noutro muito bom como este. Pois é, estou encantado com todos estes pratos tão bem confeccionados. Pois, eu gostava de fazer igual, mas não consigo. A vida é dura e obrigou-me a morar sozinho, e a cozinha não é de todo o meu local favorito. Mas estou a tentar conhecê-la, mas as aventuras têm sido imensas. Fiz um blog humilde para colocá-las em forma de crónica pouco extensas. Gostava muito que todos vocês o visitassem e se possível o seguissem. É que tentar cozinhar e depois não ser ajudado, é algo muita mau.
    Cumprimentos a todos!

    http://tenhosalfaltamecolher.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  3. Sou pessoa de pouca carne, prefiro mesmo os cogumelos. Gosto muito de tortas salgadas e esta deve ser deliciosa :)

    ResponderEliminar
  4. E eu engordo mais só de ver e ler esta receita. huuummmmmmmm
    Deve ficar deliciosa Fátima.
    Socorro!!!!!!!!

    Passa lá no meu blog e participa da festa de 1º aninho dele.

    Bjs no coração!

    Nilce

    ResponderEliminar
  5. Querida Bombom
    Que delicia de torta e tem um aspecto muito bonito.
    Um abraço
    Léia

    ResponderEliminar
  6. Bombom, queridona!
    Eu aqui fazendo uma força danada para esta dieta que já foi pro espaço hoje, naquele encontro de blogueiras, mas concordo que pra se emagrecer tem se que comer menos e fazer mais exercícios com o corpo, portanto, segunda-feira estou de volta à academia e à malhação.
    Fiquei com água na boca com esta torta.
    beijos cariocas

    ResponderEliminar
  7. Que massa boa, heim? Não vai manteiga ou qualquer tipo de "óleo".
    Também acho que antes para comer, precisava plantar e colher. Isto já gastava energia. Caçar nem se fala! Mas a natureza é pródica e nos dá a capacidade de precisar menos de proteína que qualquer outra substância, precisamos de maior porção de verduras, legumes e frutas. Afora esse gasto, hoje em dia se encontra praticamente tudo pronto e se levar para casa, basta um microondas. O paladar do homem também mudou e por que não todo o aparelho digestivo? Temos maior número de casos de azias, aftas, indigestão... até chegar ao câncer de intestino! O grande lance é pensar que estamos nos matando aos poucos e a máxima: "Você é o que come" - tá valendo! Beijus,

    ResponderEliminar
  8. adorei a receita, já sei o que fazer com um franguinho assado que está dando sopa por aqui.usarei como recheio dessa maravilha. um abraço

    ResponderEliminar
  9. Oi, Bombom!

    Por aqui a coisa não é diferente, também comemos muito, será que herdamos de alguém? kkk
    Mas, é interessante isso, devemos repensar nossas comilanças, e partir para uma alimentação mais balanceada, mais saudável, pois, nos garantirá boa saude.

    Gd. abraço
    Socorro Melo

    ResponderEliminar
  10. agradeço sua visita. minha tia Dadi e vovó Lili eram brasileiras, eram a família da mamãe, mas meu pai, sendo de Aveiros, me contava muito do seu povo, comida, música,lugares. tb me considero um pouquinho luzitana, se me permite. um abraço.

    ResponderEliminar