CONSERVA DE CHAMPIGNONS



Andava há tempos curiosa para experimentar esta receita que encontrei no blog da Cerejinha.
Ela baseou-se numa receita do Jamie Oliver, cujo trabalho aprecio bastante.
Com este preparado sempre à mão, podem enriquecer-se ràpidamente muitos pratos de massa, tartes, saladas, recheios para pastéis, etc.

400 g de cogumelos de Paris (cortados em 3 fatias)
500 ml de água
500 ml de vinagre de vinho branco (usei só 350 ml)
1 colher de sopa de sal
250 ml de azeite virgem
1 malagueta ou pimenta dedo de moça sem sementes, cortada em fatias finas
1 colher de sobremesa de orégãos
1 colher de sobremesa de tomilho
1 colher de café de raspa de limão (usei 1 c. de chá)
1 cebola pequena cortada em meias luas fininhas
2 dentes de alho cortados em lâminas fininhas

Coloque numa panela a água, o vinagre e o sal e leve ao lume a ferver. Quando borbulhar, junte os cogumelos fatiados e deixe ferver durante 4 minutos. Escorra a água e reserve.
Numa tigela deite o azeite, os orégãos, o tomilho, a malagueta, o alho laminado e a raspa de limão. Misture bem. Acrescente a cebola e os cogumelos escorridos. Mexa bem com a colher de pau envolvendo todos os ingredientes. Se quiser pode juntar um pouco mais de sal.
Coloque em frascos de vidro esterilizados e tape com tampa hermética. Leve ao frigorífico durante uma semana para harmonizar os sabores.

Esta receita dá para um frasco de tamanho médio como os do grão ou feijão de compra.
Esta conserva ficou muito aromática e estou com curiosidade para a provar daqui a oito dias!
Espero que gostem!
Beijinhos da

Bombom (Tia Fátima / Avó Fátima)

PÉTALAS OU FLORES CRISTALIZADAS

Na sequência do tema que vos tenho vindo a apresentar, trago-vos hoje duas receitas que poderão fazer parte dos adornos de doçaria, para enfeitar doces, gelados e sobremesas.

Pétalas de Rosa Cristalizadas

10 pétalas de rosa (sem tratamento químico)
1 clara de ovo pasteurizada
50 g de açúcar

Lavar e secar as pétalas cuidadosamente.
Pincelar com a clara de ovo. De seguida, passá-las pelo açúcar, cobrindo-as completamente.
Deixar secar em lugar seco e sem humidade, ou levar ao forno a 35° (baixa temperatura) por algumas horas.


Violetas Cristalizadas

100 g de claras
10 g de açúcar em pó
1 g de gelatina
Pétalas ou flores de violetas
Açúcar granulado

Hidratar a gelatina num pouco de água fria por 8 minutos.
Escorrer bem e secar com um pano ou com papel de cozinha.
Num tachinho, derreter a gelatina em lume muito brando, sem deixar ferver.
Bater ligeiramente o açúcar em pó com as claras. Juntar a gelatina derretida e misturar bem.
Com um pincel, cobrir os dois lados das pétalas ou das flores com uma capa fina de claras-gelatina-e-açúcar.
Passar as pétalas ou flores por açúcar cristalizado e secar durante 24 horas dentro do forno a 40°.

Ainda não tive ocasião de experimentar estas receitas. Devo ir em breve à minha aldeia e, se as violetas já tiverem florido e se as rosas não tiverem murchado com a seca, vou fazer a experiência muito em breve.
(O mesmo é dizer que vou dar uns dias de férias ao Meu Estaminé, mas volto logo).
Depois, partilharei convosco os resultados.
Desejo-vos um óptimo fim de semana.
Beijinhos da

Bombom (Tia Fátima / Avó Fátima)

FLORES COMESTÍVEIS (2)


FLORES COMESTÍVEIS (cont.)

Gerânio - As suas pétalas usam-se em saladas.

Girassol - As suas pétalas têm um sabor agridoce. Os botões cozidos, são servidos como os espargos. As flores usam-se em saladas. As sementes são muito utilizadas no enriquecimento de pães e bolos.

Hibisco - De sabor ligeiramente ácido com notas cítricas e frutadas. Deve usar-se pouca quantidade de cada vez. Usa-se em saladas, xaropes e bebidas alcoólicas.

Lavanda ou Alfazema - Tem o seu próprio sabor, junto com alguns tons cítricos. Usa-se em chá, biscoitos, xaropes, bolos, cheese-cake, sorvetes, geléia, tortas, vinho, vinagrete. É muito agradável misturada com mel.

Murta - As suas pétalas usam-se nas saladas de frutas.

Petúnias - As flores têm um gosto médio.Usam-se para guarnição.

Rosas - As pétalas de rosa usam-se em xaropes, decoração de pratos, doces e saladas, coberturas, sorvetes, guarnições, geléias, manteiga, gelo. Também se usa em pratos fritos, como tempura de pétalas de rosa (passadas por ovo e farinha), que é uma entrada deliciosa e rica em vitaminas. É usada para licores e açúcares. Nos bolos, usam-se caramelizadas para decoração. A água de rosas é um uso famoso das pétalas de rosa.

Salva-ananás - Usa-se em saladas devido ao seu travo muito agradável a ananás.

Sardinheira - As suas pétalas têm um sabor que varia entre o limão e o mentolado. Usa-se em saladas e para guarnição.

Violetas - Têm flor e pétalas comestíveis de sabor doce e perfumado. Podem consumir-se frescas ou cristalizadas em açúcar. Além do seu efeito decorativo, servem para fazer doce, chá, bolos e xarope de violeta. Podem incluir-se em saladas, geléias, manteigas, para dar sabor e para guarnição. Procure a variedade "Viola odorata".

Notas - Aqui termina a minha lista de Flores Comestíveis. Se souberem de mais algumas, digam que eu acrescentarei de bom grado.
Amanhã publicarei a receita de Pétalas de Rosa Cristalizadas.
Desejo-vos um óptimo fim de semana. Beijinhos da

Bombom (Tia Fátima / Avó Fátima)

FLORES MAIS USADAS (1)


FLORES MAIS USADAS

Abóbora e Courgette - São muito boas mexidas com ovos, panadas com ovo e farinha, recheadas e em sopa.

Alho - As flores do alho sabem a alho. Usam-se para salpicar saladas, sopas e empadões.

Amores perfeitos - De sabor adocicado, são diuréticos. Usam-se na guarnição de pratos e saladas, a flutuar em sopas e para aromatizar vinagres. As flores cristalizadas servem para decorar bolos, cremes, chocolates e sobremesas.

Borragem ou Burago Officinalis - As suas flores sabem a pepino, por isso são usadas em saladas.

Calêndula ou Camomila - De sabor ligeiramente amargo, picante e apimentado, lembra o açafrão. Cruas só se comem as pétalas. O pólen pode causar alergias. Usa-se em saladas e para decoração de canapés. Também se utiliza em pratos de arroz, peixes e sopas em substituição do açafrão.

Chaga, Capuchinha ou Flor de Nastúrcio - Tem um gosto levemente apimentado que faz lembrar o agrião. Ficam bem em saladas, recheadas, cristalizadas ou como guarnição. São ricas em vitamina C.

Cebola - As flores da cebola sabem a cebola. Usam-se para salpicar as saladas, sopas e empadões.

Cravina - Pétalas de sabor apimentado, tipo cravinho da índia. Deve retirar-se a parte branca porque é amarga. Aromatiza vinagres, geléias, açúcares e vinhos. Cristalizadas servem para enfeitar bolos. As suas pétalas servem de base ao célebre licor francês Chartreuse.

Cravo Túnico Dobrado - As suas pétalas amarelas ou cor de laranja, de sabor doce parecido com a noz moscada, dão um belo colorido dourado às saladas e guarnições.

Bom fim de semana. Beijinhos da

Bombom (Tia Fátima / Avó Fátima)

FLORES COMESTÍVEIS, PORQUE CHEGOU A PRIMAVERA!

                       Jardim Botânico da Ilha da Madeira

Saúdo a Primavera que oficialmente começou ontem. Mas é sabido que, por ser ano bissexto, ela entrou no dia 20 de Março. E, se perguntarem às andorinhas quando começou a Primavera, elas talvez digam que começou há mais de um mês! É que os campos estão floridos há muito, antes do tempo certo...e foi por essa altura que elas regressaram.
E enquanto vamos esperando que chova, vamos aproveitando o Sol que brilha e nos enche a alma de cor e calor.
Por isso, hoje venho falar-vos de Flores, das que se podem comer com a boca e com os olhos, pois os olhos também comem, como diz o povo.

                  FLORES COMESTÍVEIS

As Flores têm diversos usos, como:
- saladas, acompanhamento de verduras e frutas;
- doce de flores (violetas, rosas açucaradas ou lavanda);
- adicionar a pickles, geléias, vinagretas, caldas;
- biscoitos, pães e bolos;
- sobremesas como sorvetes, cheese-cakes;
- para decoração e guarnição de pratos e bolos.

Preparar as Flores:

Colher - O melhor é colher as flores de manhã, depois do orvalho ter secado. Também se podem colher ao fim da tarde, depois do Sol ter baixado, se as flores se apresentarem em boas condições. Não colher flores no meio do dia porque perdem cor e sabor. Escolha as mais frescas e viçosas. Não apanhe os botões nem flores murchas porque são amargas. Escolha flores com pétalas largas.

Remover estames e pistilos - Se forem óbvios, em flores grandes, remova-os. As partes brancas e os grandes estames e pistilos são geralmente amargos e não devem ser mastigados.

Lavar as Flores - Sacuda as flores para afugentar os insectos, detritos e terra. Veja se as flores estão sujas e lave-as com água, gentilmente, usando um passador de rede fina. Também pode usar um spray com água, pulverizando cuidadosamente pois as flores amachucam-se com facilidade. Se a flor for especialmente delicada, basta um breve mergulho.

Secar - Seque com toalhas de papel de cozinha e acabe de secar ao ar.

Guardar - As flores podem guardar-se no frigorífico, bem fechadas em sacos ou caixas de plástico durante 10 dias. Para isso, coloque uma toalha de papel de cozinha húmida, dentro do recipiente com flores.

Restrições - Não comer flores de compra nas floristas porque são tratadas com pesticidas. Não usar flores de tomateiro, batata, beringela, pimenta, nem de espargos. Cuidado com as plantas venenosas como : lírios do vale, azáleas, dedaleira, espirradeira, narciso, etc.

Amanhã falar-vos-ei das flores mais usadas.
Espero que gostem!
Continuação de boa semana. Beijinhos da

Bombom (Tia Fátima / Avó Fátima).

RICOTTA CASEIRA






Já devem ter percebido que sou grande fã de queijos e, se for dos artesanais, tanto melhor.
Cá em casa faço com frequência o Queijo Fresco e o Requeijão que não falta à nossa mesa ao pequeno-almoço. E andava muito curiosa para provar um queijo italiano, o Ricotta, que nunca consegui encontrar aqui em Portugal. Por aquilo que li parecia-me que devia ser muito parecido com o nosso requeijão, mas não tinha a certeza.
Aqui há tempos, encontrei na Net duas receitas que me pareceram fiáveis.
Hoje testei a primeira. Foi publicada em 2009 pela Patrícia Scarpim, no seu Technicolor Kitchen, um blog que vos recomendo vivamente e baseia-se numa receita de Donna Hay Magazine. Podem confirmar aqui:
http://technicolorkitchen.blogspot.com/2009/03/ricota-caseira.html

Ricotta Caseira

1 xícara medidora - 240 ml

6 xícaras de leite do dia (1,440 l)
2 colheres de sopa de vinagre branco

Coloque o leite numa panela e leve a fogo (lume) médio.
Insira um termómetro culinário no líquido e deixe-o atingir 80° de temperatura.
Retire do lume, junte o vinagre (envolva ràpidamente com a colher de pau) e deixe repousar por 5 minutos, ou até que se formem os coalhos.
Forre um passador de rede fina com uma gaze ou tecido fino e coloque-o sobre uma tigela funda.
Com a ajuda de uma escumadeira, remova os coalhos* da superfície do leite e vá deitando com cuidado dentro do passador anteriormente preparado. Deixe escorrer durante 5 minutos.
Transfira a ricotta às colheradas, para uma taça de vidro ou cerâmica e cubra levemente com "film".
Guarde no frigorífico até uma semana.

* Remover os coalhos com cuidado, em vez de despejar o leite no passador, evita que o queijo resseque e fique granuloso.

Do leite que sobrar (soro leitoso) pode voltar a aquecer a 80°, juntar mais um pouco de vinagre, porque assim obterá mais coalhos (cerca de 1/3 do inicial).



Notas:
- Em vez das taças de vidro, usei os cestinhos do requeijão.
- O primeiro, rendeu apenas meio cestinho de ricotta.
- Com o soro leitoso que sobrou, juntei uma xícara de leite e retomei o processo.
- Rendeu mais 2 cestinhos.
- Apreciação: Tem um aspecto muito semelhante ao do meu requeijão, mas não gostei do travo levemente azedo provocado pelo vinagre.
Acho o meu Requeijão muito mais gostoso do que este Ricotta!
Numa próxima vez ainda vou testar a receita com o coalho em pó que uso, para ver se resulta. Depois conto-vos!

Tenham uma óptima semana! Beijinhos da

Bombom (Tia Fátima / Avó Fátima)

GELÉIA DE (CASCAS) DE ANANÁS


Há alguns dias atrás, andava eu metendo o nariz em outras cozinhas, uma receita me chamou à atenção: Geléia de Cascas de Ananás.
Tinha acabado de deitar as de um no caixote do lixo, que pena! Senão tinha experimentado logo, mas não demorou muito para fazer a experiência. No início da semana comprei um abacaxi, lavei-o bem, como sempre faço, e fui guardando as cascas e os pedacinhos mais duros do centro, assim como os "olhinhos que se retiram quando se servem fatiados, num Tupperware dentro do frigorífico.
E hoje foi o dia de deitar mãos à obra.
Vou dar-vos a receita, tal e qual a tirei e queria deixar aqui o link para a sua autora, MAS!... ao passá-la, esqueci-me de registar o nome do respectivo blog, que por norma escrevo sempre, mas desta vez, falhou-me.
Já andei a ver se o localizava e não encontrei. Se por acaso a sua autora passar por aqui, por favor "acuse-se" (ou acuse-me) porque assim, será mais fácil reencontrar o seu link!

Geléia de Cascas de Ananás

Cascas de 1 ananás
1,3 l de água (1300 ml)
600g de açúcar (usei 500g de açúcar e 100g de açúcar gelificado)

Deite as cascas do ananás num tacho e junte a água. Leve ao lume no tacho destapado até ferver. Reduza o lume para médio e deixe cozinhar durante 15 minutos. (De vez em quando, com a ajuda de uma concha, ia amassando os pedaços de ananás para largarem bem o sumo).
No fim desse tempo apague o lume e coe o líquido através de um passador de rede fina coberto por um pano fino.
Deve obter 1 litro de líquido. Junte-lhe o açúcar, mexa bem para dissolver e leve de novo ao lume até levantar fervura. Reduza para lume brando e deixe ferver durante cerca de 1 hora e 30 minutos até obter ponto de geléia.
Retire do lume e encha os frascos prèviamente esterilizados e feche com tampa hermética.
(Antes de os fechar coloco sempre uma rodela de papel vegetal embebido em álcool puro, sobre o bocal do frasco e depois coloco a tampa).

Notas:
- Escrevi entre parêntesis as alterações à receita original.
- Dá para 2 frascos médios / pequenos.
- Fica com um aroma e paladar excelentes.
- Pode usar-se em torradas ou tostas, sobre bolachas de água e sal, em Panquecas ou Crepes doces, para tornar os Bolos e Tartes mais brilhantes, para enfeitar pratos de Carne ou Aves (tipo Gourmet), para adoçar os Iogurtes naturais, para fazer refresco.

Com desejos de que passem um bom fim de semana, beijinhos da

Bombom (Tia Fátima / Avó Fátima)

MÁQUINAS DE FAZER PÃO...E COMPOTA DE KIWI

No próximo dia 15 de Março, quinta-feira, o LIDL vai ter à venda Máquinas de Fazer Pão a 47.99 euros,  máquinas de fazer Waffles a 19.99 euros e Robots de Cozinha a 69.99 euros, entre outras miudezas para a cozinha e não só.

As MFP`s também servem para fazer Doces e Compotas, embora eu nunca a tivesse usado para esse fim.
Há dias, vi nesta cozinha-da-risonha.blogspot.com/2012/02/doce-de-kiwi.html  uma receita de Doce de Kiwi na MFP e aproveitei a ideia para fazer a experiência.

Como os clientes mais "próximos" aqui do Meu Estaminé se têm queixado de que os meus Doces são demasiado doces (passe o pleonasmo), tenho andado a testar outras maneiras de reduzir o açúcar. Como já devem ter reparado, tenho estado a fazê-lo acrescentando Pectina ou então, Açúcar Gelificado de modo a conseguir uma conservação  mais segura.
Na confecção tradicional e para que as conservas de frutas se mantenham intactas durante um ano, usa-se 1 kg de açúcar para cada kg de fruta. Se usarmos uma quantidade menor de açúcar, as conservas criam bolor e alteram-se, podendo tornar-se cancerígenas.
Se usarmos a pectina como gelificante ou o dito açúcar já preparado, podemos reduzir um pouco a quantidade de açúcar por kg de fruta, mantendo a qualidade da compota e a sua conservação. De qualquer modo, eu prefiro guardar estas no frigorífico por precaução.

                                      Compota de Kiwi

Fiz na MFP a receita da Risonha, mas como não tinha a alga agar-agar, misturei ao açúcar 2 colheres de sopa de pectina em pó.
À parte, fiz outra dose em cima do lume, assim:

Compota de Kiwi

1 kg de kiwis
500g de açúcar branco
150g de açúcar gelificado
2 paus de canela

Lavar e descascar os kiwis. Cortar em pequenos cubos e deitar num tacho de inox. Acrescentar os restantes ingredientes, envolver bem e levar ao lume forte até levantar fervura.
Reduzir para o mínimo e, com o tacho destapado, deixar apurar durante 1h e 30m a 2 horas, mexendo de vez em quando.
Quando pronto, encher até acima os frascos prèviamente lavados e secos. Colocar em cada um uma rodela de papel vegetal embebida em álcool e tapar de seguida com tampa hermética.
(Este é o meu método, que aprendi com a Maria de Lurdes Modesto, e nunca me dei mal).

Não triturei a compota e gostei do aspecto.
Ao paladar, as duas técnicas deram resultados muito semelhantes.
Como o kiwi é um fruto ácido e cítrico, o resultado foi uma compota um pouco ácida para o meu gosto. Mas estou certa de que quem gosta de sabores ácidos, a vai apreciar.
Vou ficar à espera de candidatos para a prova, he,he!
Desejo a todos a continuação de um bom fim de semana.
Beijinhos da

Bombom (Tia Fátima / Avó Fátima)

EXPOSIçÃO "A COMIDA E O SONHO"...FOTOGRAFIA / FOOD STYLING


Amanhã dia 8 de Março, é inaugurada no CAE da Figueira da Foz, a Exposição da nossa amiga blogueira Mónica Pinto, do PRATOS E TRAVESSAS, sob o tema A Comida e o Sonho.
Não sei se sabem, mas a Mónica tem formação na área da Arte e Design. Com a paixão pela Gastronomia e pelo seu blog, desenvolveu também a paixão pela Fotografia - Food-styling.
Tem colaborado com as suas receitas em revistas de Gastronomia de prestígio internacional.
E, nessa sequência, surge a sua Exposição de Fotografia  durante o mês de Março e que culminará com um
Workshop de Fotografia / Food styling
no dia 31 de Março (sábado) no Arquivo Fotográfico Municipal da Figueira da Foz. As inscrições estarão abertas até ao dia 18 de Março e custa 20 euros.
 Podem encontrar aqui mais informações:
pratos-e-travessas.blogspot.com/2012/03/workshop-de-fotografia-food-styling.html
e ainda em:
pratos-e-travessas.blogspot.com/2012/03/exposicao-comida-e-o-sonho-e-desejos-de.html

Desejo à Mónica um grande sucesso e muitas visitas!

Se estiverem interessadas em Fotografia Food-Styling, não deixem de aproveitar o workshop da Mónica, com a valiosa colaboração da Escola de Hotelaria da Figueira da Foz.

Desejo a todos a continuação de uma boa semana.

Beijinhos da

Bombom (Tia Fátima / Avó Fátima)

GELÉIA DE VINHO DO PORTO


Hoje estou muito satisfeita!
Não imaginam há quanto tempo andava a querer descobrir como fazer Geléia de Vinho do Porto.
Mas como não tinha a receita, fui adiando até encontrar coragem para meter mãos à obra lá no "laboratório". A minha cozinha, claro!
Tinha comprado uma garrafa de Vinho Porto para esse efeito: se não desse certo, paciência...
E esta tarde, lá me entreguei às investigações (he,he).


Geléia de Vinho do Porto

500 ml (0,5 l) de Vinho do Porto
150 g de açúcar gelificado (usei Sidul)
200 g de açúcar branco
1 pau de canela grosso (ou 2 finos)

Colocar todos os ingredientes num tacho e mexer para ajudar a dissolver o açúcar.
Levar a lume forte até levantar fervura.
Reduzir o lume para o mínimo e deixar apurar durante 1 hora, a 1 hora e 15 minutos.
Verificar se está em ponto de geléia e desligar o lume.
Encher os frascos prèviamente lavados e bem secos.
Colocar um quadrado de papel vegetal embebido em álcool no bocal do frasco e tapar com tampa hermética.
Deixar arrefecer e guardar em local escuro.



Notas:
- Deu para 2 frascos pequenos e 2 minis para as provas (he,he).
- Ficou óptima! Foi provada e aprovada!
- Tanto pode ser servida com fatias de pão fresco ou torrado, como em Crepes e Panquecas.
- Pode (e deve) ser servida a acompanhar pratos de Carne Assada, ou a guarnecer um prato mais requintado.
- Em vez da Omelete ao Rum, experimentem "Omelete com  Geléia de Vinho do Porto"!
- É útil para dar brilho a Bolos e Tartes ou para recheios.
- Da próxima vez farei em maior quantidade:
    _1 litro de Vinho do Porto
    _300 g de açúcar gelificado
    _ 450 g de açúcar branco
    _ 2 paus de canela

Como a receita é da minha invenção, ofereço-a a quem quiser experimentar, com a condição de depois me vir dizer o que achou. Pode ser?
Tenham um bom fim de semana. Beijinhos da

Bombom (Tia Fátima / Avó Fátima)

AINDA A PROPÓSITO DE OVOS...

Não sei se se recordam, mas há algum tempo atrás falei-vos de OVOS.
http://receitasdatiafatima.blogspot.com/search/label/Ovos

Na altura falei-vos dos ovos Matinados, a única marca de ovos com carimbo 1PT.
Quase um ano depois, deixei de os encontrar no supermercado onde compro habitualmente (Modelo/Continente).
 Há umas semanas apareceu uma nova marca (nova, porque eu não conhecia).


São 1PT e são bem maiores do que os que eu comprava anteriormente. Gosto deles, mas...
Há sempre um mas! Tanto na caixa, como carimbado em cada ovo, diz : "Ovos de galinha criada ao ar livre".
E devia dizer OVOS DE GALINHA DE CAPOEIRA (1PT).
De outro modo, o carimbo interior de cada ovo, teria de ser 0PT.
É verdade que estes ovos são um pouco mais caros que os outros, mas se tiverem crianças em casa, vale o sacrifício, sempre que possam.

Volto a lembrar-vos que anda por aí (nas lojas e mercados, super ou nem por isso) muito "gato por lebre".
Se repararem bem, vêem grande quantidade de ovos em diferentes embalagens, brancas ou amarelas e com diversas características para evidenciar qualidades que na maior parte das vezes não possuem, mas que vendem por bom preço. É o caso dos que dizem que contém ómega 3 ou 6, ou dos que dizem que provêm de galinhas alimentadas com milho, trigo e soja, como este que vos mostro e que comprei ao engano (esqueci-me de abrir a caixa e confirmar o carimbo interior).



Se virem melhor aqui:

cá está a referência a "galinhas alimentadas com milho, trigo e soja". Se eu tivesse aberto a caixa, teria visto logo que o carimbo dos ovos tinha 3PT, o que significa que são de galinhas de aviário, criadas em cativeiro dentro de gaiolas, sabe-se lá em que condições...
Quando assim for, vale mais comprar os ovos de marca de branca porque são iguais a estes, mas muito mais baratos!

Esta semana também fiquei muito desiludida. Quando compro frango, opto sempre pelo que diz que é criado no campo e alimentado com milho. Por isso, pago-o mais caro que os outros. Santa Ilusão!


Quando cheguei a casa e abri a embalagem, vi logo que era de aviário (e dos maus). Trazia as patinhas todas feridas por baixo, sinal de que foi criado em aviário muito pouco higiénico onde os animais se ferem por causa da acidez das fezes que raramente são limpas...
Será que a ASAE não vê isto? E a DECO onde está?...
Muita gente contestou a ASAE, mas eu não. Esta era a única garantia que o consumidor tinha, para não comer gato por lebre!...
E com esta me vou...que tristezas não pagam dívidas!

Beijinhos da

Bombom (Tia Fátima / Avó Fátima)