AINDA O NATAL...

terça-feira, dezembro 28, 2010

                           Postal confeccionado na Escola por D. - 5 anos


 O Dia de Natal já passou e sobre ele já passaram mais 3 páginas do Calendário...
Comeram-se os restos da festa, arrumou-se a casa, lavou-se e arrumou-se a baixela dos dias festivos.
"Assentou a poeira", como se costuma dizer por cá. 
Aproveitei sempre que pude para visitar blogs amigos ou ver "novidades" no Facebook.
Depois, como a minha especialidade é "culinária", ando sempre com o rolo da massa ou a colher de pau, na mão. E não resisto a meter a minha colherada!...
A minha provecta idade já mo permite (he,he), mas peço perdão se algum dos meus comentários tiver magoado alguém.
De tudo o que li, ficou-me o desejo de fazer aqui uma pequena (espero, he,he) reflexão.

                              Postal confeccionado na Escola por S. - 9 anos

Não sei se será justo atribuir à Igreja Católica todos os males que constatamos na nossa sociedade, em relação ao consumismo desenfreado e à ostentação que se faz em muitos lares, nesta quadra. Este é um mal que vemos
tanto nos que são cristãos (católicos, protestantes ou ortodoxos) como em muitos ateus e agnósticos.
Como sabem, esta festa já tem muitos milénios e teve origem na chegada do Solstício que se situa a 22 ou 23 de Dezembro. Os Povos Antigos festejavam a chegada do Sol ao horizonte, o crescimento dos dias e pediam os favores dos deuses para que protegessem as suas colheitas. Enfeitavam as árvores nuas com frutos , folhas, penas e tudo o mais que a sua imaginação ditasse. Ainda hoje nos países nórdicos se celebra com pompa, este acontecimento anual. E é aqui que estão as raízes da actual árvore de Natal.
Quando, muitos anos já após a Morte e Ressurreição de Jesus, a Igreja Católica se institucionalizou, "adonou" e deu novo sentido a esta festa. Passou a celebrar nesta altura, o nascimento de Jesus, para lhe retirar o cunho dito "Pagão" e o tornar num ritual mais religioso.
Isto foi feito também em relação às festas do Solstício de Junho e vejam a quantidade de santos que se veneram nessa altura: Santo António, São João e São Pedro (aqui em Portugal).
Tradicionalmente, celebrava-se a Missa do Galo à meia noite e entoavam-se cantos de Natal.
Não sei qual é a origem da troca de presentes, mas parece-me lógica no sentido da partilha de bens que Cristo pregou. Dos que podem, para os que precisam.
Claro que Ele quando o disse, era para que a solidariedade estivesse presente "à nossa mesa" todos os dias e não apenas uma vez por ano. Os hipócritas fomos nós, que transformámos essa festa num festival de ostentação e consumismo desenfreado. Démos ouvidos apenas aos estímulos para o "ter" e esquecemos os mais importantes e que nos fortalecem, os do "ser"!
Agora quero dizer-vos que fiquei muito feliz, por ver que não sou só eu a pensar assim. Li nos textos de muitas de vós as mesmas preocupações. E parece-me que já somos uma grande corrente, assim como "o fermento na massa"... Vem aí o Ano Novo. Que tal agendarmos este tema para Outubro de 2011?
Nessa altura ainda vamos muito a tempo de repensar o Natal e os seus valores de Festa da Família, independentemente da Religião de cada um.
Repensaremos o sentido dos presentes para que se tornem de novo em pequenas lembranças, sinais de Amor incondicional, de partilha e Amizade.
E termino com votos de  FELIZ ANO NOVO
Beijinhos da

Bombom ( Tia Fátima ou Avó Fátima) 

P.S. - Já coloquei a foto das Rabanadas no "post" anterior.

Talvez Goste de Ler

10 comentários

  1. Querida Fátima, seu texto vai diretamente de encontro ao meu pensamento. Assino embaixo do que foi escrito e aplaudo!
    Boas entradas num ano que tem tudo para ser bom, pois a maioria dos acontecimentos dependem de nós.
    Obrigada por estar em minha vida!
    Beijo!

    ResponderEliminar
  2. Minha boa amiga, consumismo é o que me preocupa mais, as crianças parece que já não se contentam só com um presente, acho isso um péssimo principio,pois fui criada com muito pouco e nem havia troca de presentes, só começou já tinha 16 anos,por mim eu associo a troca de presentes aos presentes entregues pelos 3 Reis Magos quando adoraram o menino, acho que a troca deve ser simbolica, um grande beijo e um grande abraço, já que não te consegui contemplar com um simples postal de Natal

    ResponderEliminar
  3. uma postagem perfeita e oportuna. parabéns

    ResponderEliminar
  4. Perfeito Fátima.
    Concordo com você que o consumismo anda muito exagerado e todos aproveitam o "bonde" para as comilanças e compras.

    Querida, obrigada pela companhia e carinho durante este ano e estaremos juntas em 2011.
    Que o novo ano seja espetacular, com muita paz, saúde e realizações para você e os seus.

    Feliz Ano Novo!

    Bjs no coração!

    Nilce

    ResponderEliminar
  5. Já dizia Jesus que "Há mais felicidade em dar que há em receber". e isso serve de exemplo para qualquer altura do ano. A culpa é dos homens, sem esquecer que quem está ao comando das igrejas são homens como nós, mas há quem pense que são santos ou deuses :) Para além do mais, muito mais importante que o nascimento de Jesus, é a sua morte que, segundo a Bíblia diz, serviu de resgate pelos nossos pecados :) Será viável celebrar as festividades pagãs só porque a Igreja as tomou como delas? Isso vai da escolha de cada um :)

    ResponderEliminar
  6. Minha querida Bombom, concordo com (quase) tudo o que disse. Com certeza não é a Igreja Católica a culpada disso, e sim, as pessoas, sejam de que religião for, até mesmo as agnósticas e atéias. Acho uma ótima ideia repensarmos isso e em outubro do ano que vem falarmos bastante sobre esse assunto. Muito oportuno teu post minha amiga. E que em 2011 repensemos nossos atos, gestos e jeitos de olhar. E que continuemos unidas, celebrando nossa linda amizade. Feliz 2011! Grande beijo minha querida!

    ResponderEliminar
  7. Oi, Bombom!
    Claro que concordo contigo, pois não acho mesmo que seja a igreja católica ou outra qualquer que incentiva o consumismo. Esta coisa vem crescendo ano após ano em todo o mundo, mas acho que porque o ser humano só pensa no TER e esqueceu realmente o SER.
    Quanto ao feriado, na minha concepção pelo menos, é um fato social em que a reunião familiar e o amor pelo próximo devem ser exercidos. É isso que gosto e tento fazer nos meus natais. Consegui este ano fazer justamente como queria e fiquei muito contente.
    Agora, vamos pensar no novo ano e aproveito para desejar-lhe um ano cheio de boas realizações e muita, muita saúde mesmo!
    bjs cariocas, muitos.

    ResponderEliminar
  8. Olá, Bombom!

    Um texto gostoso de ler, e muito reflexivo. Gostei muito. Comungo desse mesmo pensamento, acho que o sentido dessa festa é acima de tudo a confraternização, o fortalecimento dos laçõs de amizade e ternura, a solidariedade.
    e aproveito para desejar-lhe, também, um ano novo carregadinho de bênçãos, saúde, paz, sossego,alegrias, e muitas receitas gostosas, kkk

    Obrigada pela amizade, carinho e atenção a mim dispensados. Foi legal te conhecer.

    Bjokas
    Socorro Melo

    ResponderEliminar
  9. Querida Bombom,

    votos de um excelente 2011, com muitas, muitas alegrias.

    Um beijinho

    ResponderEliminar
  10. Amiga! Disseste tudo... Só tenho que assinar por baixo.


    Feliz Ano Novo

    Abraço imenso

    Isabel de Miranda

    ResponderEliminar