BOLO FLORESTA NEGRA

terça-feira, fevereiro 18, 2014



Hoje venho partilhar convosco mais um "pedacinho" deste gostoso livro de Fortunato da Câmara que é uma delícia para quem gosta de "saber o que come", ou seja, o seu historial.
Dou-vos só uns "lamirés", que isto de direitos de Autor, tem que se lhe diga e eu não quero que o Sr. fique zangado, mas se puderem não deixem de o ler, porque vale a pena.

O Bolo Floresta Negra, o orgulho dos alemães, tem raízes na Floresta Negra..
O seu nome verdadeiro é Schwarzwalder Kirshtorte que, trocado "por miúdos", significa Bolo de Licor de Cerejas da Floresta Negra.
No interior desta Floresta situada nas margens do Reno, a sul da Alemanha, cresce a variedade de cereja chamada morello, de fruto negro,  grosso e carnudo. Com ela, os habitantes das redondezas, fabricam uma aguardente chamada kirshwasser, que nós conhecemos com o nome de kirsh.
Diz-nos o autor do livro que "a tradição local de comer as cerejas maceradas numa calda de kirsh, acompanhadas com natas batidas, é um costume com séculos de história".
O Bolo Floresta Negra compõe-se de um bolo alto, fofo e esponjoso do tipo da Génoise, feito com cacau em pó. Depois "corta-se em 3 discos e cada um é regado com uma calda de kirsh para ficarem molhadinhos. Entre as camadas espalha-se chantilly e cerejas (descaroçadas) e, depois de sobrepostas, cobre-se tudo com mais chantilly e decora-se com mais cerejas e raspas grossas de chocolate".
A história deste bolo está prestes a fazer 100 anos, mas só começou a ser conhecido depois da Segunda Guerra Mundial.
 Uma coisa é certa: NÃO SE FAZ ESTE BOLO SEM KIRSH!

Deixo-vos aqui mais uma receita deste agradável bolo, que me foi transmitida pela Apolónia, uma grande Cozinheira com quem fiz um workshop de Chocolate na Cozinhomania (a tal do Melhor Bolo de Chocolate do Mundo).

Bolo Floresta Negra

6 ovos
200 g de açúcar
150 g de manteiga derretida
70 g de farinha
75 g de cacau em pó (de boa qualidade)
250 g de cerejas sem caroço (frescas ou em calda)
100 ml de kirsh
2 pacotes de natas (400 ml)
2 colheres de sopa de açúcar
essência de baunilha q.b.
sal fino q.b.
chocolate preto semi amargo (Valrhona ou Lindt postres) para decorar


Coloque as cerejas numa tigela e cubra com o kirsh. Deixe repousar 15 minutos (ou um pouco mais).
Unte uma forma redonda sem buraco (alta de preferência), com manteiga e polvilhe com cacau em pó.
Numa taça, misture a farinha com o cacau, peneire e reserve.
Faça uma base de Bolo de Chocolate Simples, batendo os ovos com o açúcar, uma colher de chá de essência de baunilha e uma pitada de sal, até obter creme fofo. Junte a manteiga derretida mexendo com cuidado com uma colher de pau e por fim, envolva cuidadosamente a mistura de farinha, aos poucos, fazendo-a cair "em chuva" com a ajuda de um passador de rede fina.
Leve ao forno pré-aquecido a 180°, durante 30 a 40 minutos. Faça o teste do palito aos 30 m.
Deixe arrefecer numa grade.
Entretanto, prepare o chantilly: bata as natas com as 2 colheres de sopa de açúcar e uma colher de café de essência de baunilha, até dobrarem de volume e ficarem bem fofas. Reserve no frigorífico.
Depois do bolo estar bem frio, abre-se ao meio (ou em 3, se for alto). Rega-se cada parte com o kirsh e recheia-se com chantilly.
Cobre-se com o restante chantilly e enfeita-se com as cerejas. Reserva-se no frigorífico.

Na hora de servir, polvilha-se com raspas grossas de chocolate preto.

Nota: Para barrar o bolo, use metade do chantilly ao qual juntou metade das cerejas embebidas em kirsh.
Deste modo terá um Bolo Floresta Negra mais próximo do original!

Boa semana para todos. Beijinhos da

Bombom (Tia Fátima ou Avó Fátima)

Talvez Goste de Ler

9 comentários

  1. Bombom, tu sabes que o floresta negra é dos meus bolos preferidos??
    Olha eu agradeço-te a tua partilha! E se o senhor se chateia por partilhares, mando-o ter comigo à minha Sibéria!!!
    Adorei!!! Nao tinha nem uma pequena noção da origem deste bolo! E das vezes que o fiz, sempre fiz sem kirsch! Mas acho que tenho a altura para o repetir e experimento esta tua receita!!!
    Ah ja me esquecia!! As mandarinas e as laranjas sanguineas caramelizadas sao mesmo fantasticas! Da mesma maneira, que é fantastico ter uma pessoa como tu no meu cantinho! :)
    Obrigado por tanto carinho!
    Beijinhos,
    Mena.

    ResponderEliminar
  2. Bombom querida, como e bom vir aqui. O teu espaco tem um efeito calmante sobre mim, acreditas?
    Adoro tudo: as receitas, os conselhos, a tua imensa sabedoria.
    Obrigada por estares ai, minha querida.
    Um beijinho do tamanho do mundo.
    Maria

    ResponderEliminar
  3. Que belos "lamirés" nos dás amiga Fatima e que rico bolinho este,

    obrigada meu bombom pela partilha!

    ResponderEliminar
  4. Querida Bombom,
    Que post fabuloso este, como todos os outros, mas pronto...
    Corro o risco de ser repetitiva aqui no teu cantinho, mas os teus posts são sempre tão inspiradores!! Adoro bolo floresta negra e faço todas as versões que vou encontrando por aí e sabia um bocadinho da sua história, mas não tão completa como a que nos trazes.
    Esse livro é mesmo uma pérola preciosa!!
    Olha querida, em relação aos bundts, não tens que ter uma forma especial. Basta que tenhas uma forma com buraco que é uma das características e já podes participar à vontade. Conto com a tua presença na bundtmania das zebras ok?
    Um grande beijinho,
    Lia.

    ResponderEliminar
  5. Tanta e tão boa informação sobre um dos meus bolos favoritos e uma receita a mais é sempre muito bem vinda.
    Esse livro está cheio de coisas boas.


    Beijinhos

    ResponderEliminar
  6. Querida Bombom

    Sempre que por aqui passo fico mais rica. Aprendo sempre alguma coisa.Nunca fiz este bolicório mas de certeza que iria gostar....diz-me só onde poderei adquirir este licor?
    Beijocas da sempre Tuquinha

    ResponderEliminar
  7. Adoro esse bolo! Muito bom e vim lá da Calu pra te ver! beijos, tudo de bom,chica

    ResponderEliminar
  8. Um post muito interessante,esse é dos meus bolos preferidos.
    Quanto á massa buitoni eu costumo comprar no mini preço esta na arca dos congelados ao pé das pizzas.
    É uma massa congelada,as rodelas estão separadas por papel vegetal dá para tirar as que se quer e guardar as restantes no congelador.
    Bom fim de semana
    bj

    ResponderEliminar