SOPA DE BELDROEGAS

terça-feira, julho 10, 2018



As beldroegas são uma planta que se dá bem aqui na minha aldeia da Beira Baixa.
São consideradas como uma planta inferior, tal como a urtiga branca e pouca gente as aproveita.
No entanto, é uma planta que contém potássio, cálcio, ferro, magnésio e selénio. É rica em Ómega 3 e vitamina A, B e C, ácido fólico e salicílico e glutationa que protege as células dos processos carcinogénios.
Tem folhas pequenas e carnudas e com elas se faz uma sopa deliciosa. 
No Alentejo é muito famosa esta Sopa que é acompanhada no prato por fatias de pão alentejano  e pedaços de queijo de cabra seco ou fresco.


Como nascem rente ao chão, têm de se escolher e lavar muito bem. Só se aproveitam os raminhos verdes e descartam-se todos os talos (que são muito rijos).

Sopa de Beldroegas

1 bom molho de beldroegas
1 cebola grande
2 dentes de alho
1 folha de louro (sem a nervura do meio)
3 colheres de sopa de azeite virgem
1 pitada de sal e pimenta
400g de batatas ou 1 curgete em dados pequenos
 1 litro de água quente (ou um pouco mais se necessário)

Preparação:
Lave muito bem as beldroegas e escolha os raminhos pequenos e folhas. Reserve.
Descasque a cebola e os alhos, lave-os e seque numa toalha de papel. Pique-os e reserve.
Descasque as batatas, lave-as e corte-as às rodelas. (Não usei).
Se preferir, lave e descasque a curgete e parta em dados pequenos.

1 - Num tacho aqueça o azeite e salteie a cebola, os alhos picados e o louro. Quando a cebola começar a alourar junte as beldroegas e deixe cozinhar mais um pouco. Retire o louro e descarte.
2 - Junte 1 litro de água e acrescente as batatas (se usar) e a curgete. Tempere de sal e pimenta e deixe levantar fervura. Reduza o lume para mínimo e deixe cozinhar por 30 a 40 minutos.


 Nota:
- Não usámos batatas, por opção.
- Acompanhámos com fatias de pão torrado e queijo fresco.
- Foi a primeira vez que fiz e que provámos e gostámos muito.

Com um abraço da vossa Amiga

Bombom


Talvez Goste de Ler

4 comentários

  1. Boa noite, querida amiga Fátima!
    Saudade de suas postagens.
    Gosto de sopas e caldo quente neste inverno daqui eu os aprecio muito.
    Tenha dias muito felizes e abençoados!
    Bjm muito carinhoso e fraterno.

    ResponderEliminar
  2. Dizem-me aqui os colegas do Alentejo que antigamente se fazia sopa com beldroegas selvagens. Era uma comida típica, "pobre", feita com aquela arte dos alentejanos em tornarem poucos recursos num petisco. Hoje já se cultivam beldroegas e é possível adquirir com regularidade nos mercados municipais, ou mercados de frescos.

    ResponderEliminar
  3. Estas que eu usei são das selvagens que há aqui na Paiágua e foram os primos da Eira, da tia Ilda, que mos ofereceram. Eu ajudei a colher. Nascem espontâneamente no meio das culturas de tomates, feijões e curgetes. Fiquei a saber que é uma planta muito útil porque actua como analgésico, diurético, combate o colesterol e é anti-cancerígeno. Vou fazer mais vezes! Beijinhos da Mãe

    ResponderEliminar
  4. Não sei se já comi, mas parecem-me muito bem, então nessa sopa :)

    ResponderEliminar