LADRILHOS DE MARMELADA

Já devem ter reparado que ando com falta de "genica" na cozinha!
Quero pensar que deve ser do tempo de Outono que propicia à calma e não da idade, he,he!
Aqui há tempos, descobri lá na Biblioteca de Castelo Branco um livro que me chamou à atenção. Chamava-se "Comer e Beber com Eça de Queiroz" - Editora Index (1955 - Rio de Janeiro).
É isto que me dá raiva! Têm de ser os nossos irmãos brasileiros a editar e a tornar conhecidos os escritores portugueses! Por que é que têm sempre de ser os estrangeiros a louvar os nossos valores, que tão desprezados são na sua própria Pátria?
Esta prosa levar-me-ia a grandes considerações àcerca da Educação e da Cultura que já não temos nas nossas Escolas. E isso dói-me no mais fundo da alma. Por isso, vamos lá até à cozinha!...
No livro de que vos falo, vem um conjunto de receitas compiladas da Obra de Eça, e testadas por uma grande Senhora da Culinária Portuguesa: Maria de Lurdes Modesto.
Eu anotei algumas e dentre elas, guardei a dos Ladrilhos de Marmelada para fazer quando viesse o tempo dos marmelos.
São aqueles quadradinhos de marmelada que antigamente se compravam nas Pastelarias, envoltos em açúcar pilé, bem sequinhos e embrulhados em papel de celofane. Lembram-se?
Os mais célebres eram os do Convento de Odivelas, onde D. João V "ia tomar chá" muitas vezes (he,he, são célebres estas suas aventuras...)
Estes Ladrilhos de Marmelada faziam parte em alguns dias, da sobremesa do Instituto do Professorado Primário onde passei grande parte da minha adolescência. Talvez por isso e também por me parecer que já estão extintos, lembrei-me de a partilhar convosco, apesar de não ter sido muito bem sucedida desta vez.

            Ladrilhos de Marmelada

2 kg de marmelos
açúcar e água

Lavam-se os marmelos. Cortam-se aos quartos, descascam-se e retiram-se os caroços.
Coze-se a polpa até ficar bem macia e passa-se pelo passe-vite (usei a varinha mágica).
Pesa-se o puré de marmelo e toma-se igual peso de açúcar.
Deita-se o açúcar num tacho, rega-se com metade do seu peso em água, deixa-se ferver até obter ponto de cabelo. Nessa altura junta-se o puré de marmelo e, sem parar de mexer, deixa-se ferver tudo até se ver bem o fundo do tacho (ponto de estrada).
Passa-se um tabuleiro por água fria e deita-se dentro a marmelada. 
Alisa-se a superfície e põe-se ao sol para ganhar uma crosta (2 ou 3 dias).
Depois desenforma-se a marmelada em cima de uma tábua e corta-se em quadradinhos.
Passam-se um a um por açúcar pilé (branco, granulado) e põem-se ao sol num tabuleiro, durante vários dias, até o açúcar da superfície cristalizar. Vão-se voltando para secarem por igual.

Notas dos meus desastres culinários: Eu achei por bem pôr tudo em lume brando e só mexer de vez em quando. Durante a primeira hora correu muito bem, mas depois... quando fui dar mais uma mexidela, já não se via o fundo do tacho! Pois foi: pegou no fundo.
Tinha já preparado o tabuleiro que forrei com papel vegetal  (Glad). Deitei a marmelada e parecia o bolo mármore, pintalgado de pequenas manchas mais escuras!!!
Depois pus ao sol. Mas qual sol, se começou logo a chover?
E assim estamos, entre o seca, não seca... Se calhar vai acabar em tacinhas de compota de marmelo ou nalguma sobremesa!...

Beijinhos da
Bombom ( Tia Fátima ou Avó Fátima)

CENTROS DE MESA DE NATAL - (CONT.)

Ora cá está o Centro de Mesa referido anteriormente, já confeccionado!
Eu costumo fazer laços com fitas de várias cores, que guardo em caixas de uns anos para os outros. Isso permite-me variar as cores dos arranjos.

Aqui podem ver o laço solto, encaixado na base da vela. As cores e formatos das velas também podem variar-se ao gosto de cada um.

Centro com vela grossa trabalhada.

Este centro foi-me oferecido no ano passado, pela minha nora D. que o confeccionou com ramagens de bagas de várias cores e está assente em duas rodelas de pinheiro com casca. Era muito lindo e durou muito tempo para além do Natal!
Fica a sugestão para quem estiver no campo e encontrar estes materiais.


Outra sugestão: a partir de um cesto de pão que se pode dourar com spray, frutos secos e pequenas pinhas dourados do mesmo modo e um boneco que tanto pode ser um anjo como um ursinho da caixa dos brinquedos dos vossos filhos...


Cá em casa, só começamos as decorações natalícias na primeira semana de Dezembro. Gosto de enfeitar as portas dos quartos e da sala com pequenos laços e figuras de Natal. Nessa altura voltarei a este tema.
Por agora, deixo-vos um pormenor da Árvore de Natal do ano passado.

 Não se esqueçam de Clicar nas fotos para ampliar.

Beijinhos da

Bombom ( Tia Fátima ou Avó Fátima )

NATAL - CENTROS DE MESA

                   Centro de mesa do Natal de 2009
 O Natal vem aí a toda a pressa! As lojas enfeitam-se para criar a atmosfera propícia às compras. E nós muitas vezes deixamo-nos ir na onda, entramos no frenesim das prendas e deixamos as contas para o fim...
Aí,  vem o desespero de ter gasto mais do que a conta...
Para que isso não vos aconteça, é preciso planear muito bem os gastos.
O Natal não é um tempo de presentes, só por si! Para quem é religioso, associa esta data ao Nascimento do Menino Jesus. Ele, que Se e nos proclamou Filhos de Deus, veio dar outra dimensão ao Antigo Testamento.

                 Presépio de 2009
Deixou-nos uma mensagem de AMOR, amor ao próximo, amor incondicional.
"Amai-vos uns aos outros como eu vos amei."
Esta é a chave da Paz e da Felicidade.
Para quem não tem religião, esta é uma directiva da Moral natural.
O Amor está presente em todas as religiões, mas antes de tudo, está inscrito no coração do Homem.
E este é um tempo propício ao encontro das Famílias e dos Amigos. É um tempo de solidariedade para com os que mais precisam, não esquecendo que estes precisam sempre e não comem só no Natal!
É um tempo mágico em que voltamos a ser crianças e a imaginar o Pai Natal...

Porque estamos em tempo de "apertar o cinto" e cortar nas despesas, deixo-vos aqui um link para um blog muito interessante, cheio de ideias para presentes baratos e de bom gosto. É da Colher de Pau e encontra-se em http://economiacadecasa.blogspot.com/
Pelo meu lado, trago-vos hoje umas sugestões para confeccionarem em casa, os vossos próprios centros de mesa. Digo-vos já que não sou grande artista, mas com um pouco de imaginação, somos bem capazes de deitar mãos à obra e criar uma obra bem agradável à vista...e ao nosso bolso!
Vamos precisar de um prato largo, que pode ser um da nossa cozinha, envolto em folha de estanho, ou simplesmente um prato de papel dourado, para bolos.

                              Prato de cartão dourado
Um pouco de rama verde de pinho nórdico, ou outro.
Um pedaço de barro do tamanho de uma mão fechada e pequena (florista), envolvido em folha de estanho e duas velas altas, finas ou médias (lojas chinesas).

 As velas são colocadas com a base em X. Vamos precisar ainda de uma fita vistosa com 75 cm e 3 bolas de Natal e um raminho de azevinho (facultativo).

 Este é artificial (loja chinesa) e serve de uns anos para os outros.

Na base das velas dê um laço e com uma faca revire as pontas.
Coloque as velas no meio do prato, disponha a verdura em volta, coloque as bolas, e pronto!
Como "a conversa" já vai longa, não consegui meter a foto que queria, com o Centro terminado.
Será a foto inicial da próxima postagem, com mais algumas sugestões.
Espero que vos seja útil! Um bom início de semana e até breve.
Não se esqueçam de clicar nas fotos para ampliar.
Beijinhos da

Bombom, ( Tia Fátima ou Avó Fátima )

MAIS FANTOCHES (CONT.)

Desculpem lá, mas o meu computador bloqueou para aqui e não consegui terminar como queria.
Aqui vai pois, a continuação dos animais da quinta e outros mais selvagens, mas não menos simpáticos.









Este Papagaio Louro de Bico Dourado, é vermelho de um lado e verde do outro.
É para não haver guerras lá em casa (he, he) se uns forem benfiquistas e outros forem sportinguistas!

Um bom fim de semana para todos. Beijinhos da

Bombom

QUEREM VER MAIS FANTOCHES?

Andei para aqui a hesitar se havia de vos mostrar mais alguns fantochinhos. Estava com receio de ser maçadora, sabem? Mas depois de ler os comentários e de ter completado 18000 visitantes nestes 10 meses de existência de O Meu Estaminé, resolvi mostrar-vos mais alguns e lançar um desafio.
Se algum leitor ou leitora tiver filhos pequenitos e quiser ganhar os personagens da sua história preferida, pode enviar para o mail do blog o nome, morada e a história ou os animais que prefere.

            O Capuchinho Vermelho

    
  A Branca de Neve e os Sete Anões


         A Carochinha e o João Ratão

      
A Cigarra e a Formiga


E para terminar por agora, alguns animais "da quinta".

ERA UMA VEZ...UMA HISTÓRIA DE FANTOCHES

Aqui há tempos, prometi que um dia vos contava a história dos Meus Fantoches. Pois esse dia chegou hoje!
Durante os meus trinta e tal anos de trabalho com crianças, muitas vezes senti necessidade de aprender a fazer coisas que pudesse ensinar depois aos meus alunos. Por isso gastei muito dinheiro em livros e em revistas da especialidade. Uma das revistas que coleccionei, chamava-se "50 Ideias da Burda". Era uma revista anual, com ideias para trabalhos manuais durante o ano, desde o Carnaval até ao Natal.
Numa delas vinham uns Fantoches de Dedo que achei muito engraçados.
Um dia, já avó e aposentada, ao folheá-las, reencontrei-me com eles!
Eram nove: quatro animais - o crocodilo, o elefante, o pinguim e o tigre; e cinco pessoas: a princesa, a Gretel (da Casinha de Chocolate), o polícia, o ladrão e o arlequim.
Depois de os confeccionar para brincar com a minha nètinha, achei que não eram suficientes. Podíamos inventar algumas histórias, mas não tínhamos nenhuma completa.
Tínhamos a Gretel, mas não tínhamos o irmão Hanz,  nem a bruxa. Tínhamos uma princesa, mas não tínhamos o príncipe nem o seu cavalo...
E assim começaram a nascer as Histórias Infantis com Fantoches de Dedo!


A Gretel, da revista e o Hanz e a bruxa que inventei.

O Polícia e o Ladrão, da revista.

A Princesa da revista com os personagens que inventei: o Príncipe, o seu cavalo e a Fada, imprescindíveis em qualquer História Infantil que se preze!

 O Arlequim da revista e a Pequena Sereia que inventei.
E o que começou com 9 bonecos, hoje já tem mais de 30! Desde a Branca de Neve e os Sete Anões até à Cigarra e a Formiga, passando pela do Capuchinho Vermelho e pela da Carochinha e o João Ratão!

E para terminar, o Gato das Botas. Espero ter recordado a Criança que há em todos nós!
Beijinhos da
Bombom

GORDURA DE FRANGO COM SABOR, DO BLOG "COME-SE"

Decerto que já conhecem o Blog "COME-SE" e a sua autora Neide Rigo. Mas se não conhecerem, não deixem de passar por http://come-se.blogspot.com/ . Não se vão arrepender, porque a Neide sabe do que fala. Ela é licenciada e sabe imenso àcerca das plantas e dos alimentos naturais. Eu tenho aprendido imenso com ela!
Durante muitos anos, nunca aproveitei a gordura dos frangos nem das galinhas, por me parecer que esta gordura animal não era saudável.
Um dia, lá na minha aldeia fui almoçar em casa de uma prima. Já não me lembro qual era a ementa, mas nunca me esquecerei de um arroz simples que ela serviu a acompanhar a refeição e que estava divinal.
Quando lhe gabei o arroz, ela disse-me que era Arroz Branco, preparado com um pouco de gordura de galinha, que guardava sempre no congelador.
A partir daí, passei a congelar a gordura dos frangos e galinhas que trazia da aldeia, embora não a utilizasse muitas vezes.
Até que um dia, vi no "Come-se" uma receita que me chamou à atenção: Gordura de Frango com Sabor.

 
E dizia a Neide: "quando esfria um pouco, alguns poucos ácidos graxos saturados, solidificam e podem dar uma aparência granulosa. É que de 3 a 10% dos ácidos graxos são sólidos a 20° C. Já no frigorífico, outros ácidos graxos solidificam dando à gordura um aspecto mais cremoso.
Para quem tem medo de gordura animal, saiba que esta é uma gordura boa (desde que vinda de um frango caseiro confiável), com quase 50% da sua composição em ácidos graxos monoinsaturados, o que não é pouca coisa. Então, uma colherzinha aqui e outra ali, não lhe vai fazer mal."
E mais não foi preciso, para que saísse do meu congelador o ingrediente principal da receita de

                      Gordura de Frango Com Sabor


Cerca de 350 g de gordura de frango.
1 cebola picada
1 dente de alho grande
1 galho de mangericão

Picar a gordura bem fininha e pôr num tacho, com uma colher de sopa de água para não queimar a gordura.


Levar a lume brando e deixar derreter (por 30 a 45 minutos).


Quando os pedacinhos derretem e começam a dourar parecendo pequenos torresmos, junta-se a cebola picada e deixa-se cozinhar até ficar acastanhada.Junta-se um dente de alho grande cortado ao meio (eu dei-lhe um murro para o esborrachar) e um galho de mangericão.


Quando ficarem sequinhos (os torresmos) quase dourando, desliga-se o lume.
Deixa-se arrefecer e passa-se por uma peneira de rede metálica, pressionando bem.


Escoa-se o óleo para um frasco e usa-se para juntar ao azeite dos refogados, em molhos de carne, arroz, etc.

Notas: O "segredo" é o lume brando! Eu fiz na boca mais pequena do fogão, com uma grelha metálica por cima e regulado no mínimo para que a chama não tocasse no fundo do tacho. E não ficou torresmo, derreteu quase por inteiro e só ficaram os temperos de cebola e alho no fundo do coador de rede!

Guardei no frigorífico e aí ficou com o aspecto de manteiga amarelinha.
Já usei várias vezes para fazer arroz e foi um sucesso! Fica gostoso demais!
Basta pôr no tachinho uma colher de sobremesa de gordura (manteiga de frango), uma folha de louro e a água necessária (o dobro da quantidade de arroz). Temperar de sal e deixar ferver. Juntar o arroz prèviamente lavado e deixar levantar fervura. Baixar o lume para o mínimo, tapar e contar 12 minutos.
Desligar e deixar repousar 5 minutos antes de servir.

Se o arroz for carolino  ou agulha, coze 12 a 13 minutos.
Se for basmati coze 10 minutos.
Se for para ficar malandrinho (de marisco ou de feijão) coze 15 minutos e serve-se de imediato.

Se quiserem conferir a receita é só ir a http://come-se.blogspot.com/2010/07/gordura-de-frango-com-sabor.html

Aproveito para deixar aqui um agradecimento especial à Neide Rigo pelos ensinamentos que partilha e que tanto me têm enriquecido. Obrigada, Neide! Bem Hajas!

Beijinhos da

Bombom = Tia Fátima ou Avó Fátima

ST. ALBAN E UM POUCO DE HISTÓRIA....

O Outono em Londres é mais frio e chuvoso do que o nosso (em Portugal), que é mais ameno.
Por isso, desta vez não deu para grandes passeios. No entanto, ainda visitámos uma cidadezinha um pouco a norte, cheia de História e histórias para contar. Chama-se St. Alban e já existia no tempo em que foi conquistada pelos Romanos. Visitámos as Ruínas do Teatro romano e os vestígios da cidade e o Museu onde está depositado o espólio encontrado nas escavações. Muito interessante!
No Museu, as crianças e jovens recebem uma folha com um pequeno inquérito onde vão marcando as respostas, à medida que vão encontrando os objectos assinalados. Estas folhas têm diversos graus de dificuldade, conforme as idades. A do D. de 5 anos era mais simples; a da S. era mais trabalhosa e exigia muita atenção. Gostei de vê-los, atentos, para que não faltasse nada quando, à saída, entregassem a folhinha!

 Já dentro da cidade, fica a Catedral e Mosteiro de St. Alban. Já existia no ano de 1060, quando a Inglaterra foi invadida por Guilherme o Conquistador (para os meus netinhos, Wilhelm, The Conqueror).
Vindo da Bretanha com seu exército,  partiu tudo o que encontrou pela frente. E o Mosteiro não foi excepção: veio abaixo também! Foi reconstruído e, quando da Reforma, voltou a ser derrubado pelos protestantes fiéis a Henrique VIII. E de novo foi reconstruído até aos dias de hoje.
O seu interior é imponente e alberga o túmulo de Saint  Alban ou Santo Albano.

                          Pia Baptismal.

 Este é o Púlpito, todo em pedra ricamente trabalhada.


   Este é um pormenor da zona onde se lêem as Escrituras. O livro fica nas costas da águia.

               Vitrais em duas belas capelas.


Espero que tenham apreciado este pequeno passeio, que vos ofereço com Amizade.
Beijinhos da
Bombom

HALLOWEEN ...E PÃO POR DEUS

Em Inglaterra, as Escolas fecharam para férias durante a semana anterior ao dia de Halloween.


Lá em casa, as abóborinhas já estavam à espera do aproximar da data para se transformarem naquelas carantonhas iluminadas à noite, para meter medo a algum fantasma!!!
Este ano, pela primeira vez, eu também ajudei a "limpar" as abóboras por dentro, para aproveitar a polpa para umas sopinhas ou compotas e as pevides para tostar no forno.
A A.(minha nora) tinha trazido dos EUA um kit de mini-instrumentos que são de grande ajuda para esta tarefa: furador, uma espécie de carrinho para marcar os desenhos desejados e serrinhas de vários feitios para cortar os desenhos.
Depois, à noite, foi tempo de acender uma vela no seu interior para admirar o efeito.


Como regressámos no domingo dia 31, já não pudemos ver os desfiles de mascarados à noite nem assistir à vinda dos pequenitos das redondezas para receberem os chocolates e guloseimas que se preparam para esse efeito. A A. colocou-os numa grande taça enfeitada com morcegos bem negrinhos, recortados pela S e pelo D.
 Aqui em Portugal a tradição era bem diferente. Digo era porque a globalização trouxe este e outros costumes mais ou menos consumistas, e hoje em Portugal, parece-me que já se festeja mais o Dia das Bruxas do que o de Todos os Santos!
"Outrora", quando os meus filhos eram pequeninos, no dia 1 de Novembro "pedia-se" o Pão por Deus.
Era uma tradição que vinha das nossas aldeias onde as pessoas mais pobres iam rezar à porta dos mais abastados pela alma dos seus entes falecidos e em troca recebiam alguns alimentos tais como pão, chouriços, bolos, etc.
Como muitas dessas pessoas vieram viver para as cidades e seus arredores, o costume foi-se generalizando.
Deixou de ser apanágio dos pobres e passou a ser quase um passatempo para as crianças dos bairros, já sem qualquer conotação religiosa.
Nesse dia, logo pela manhã, bandos de crianças vinham bater-me à porta e levavam sempre bolachas, rebuçados, frutas, etc.
Este ano já ninguém bateu à porta nesse dia. Ter-se-à perdido esta tradição em Portugal?...

Beijinhos da Bombom

UM BOLO DE ANOS

Segunda-feira. Bom início de semana e acautelem-se com a chuva e vento forte que para aí vem!
Comecem já a fazer uns sumos de laranja e a comer kiwi, para se precaverem com a vitamina C necessária para afugentar as gripes e as constipações e não se esqueçam de os regar com um pouco de mel. E, se for em jejum, antes do pequeno almoço, tanto melhor! Polvilhem com canela, que faz muito bem à saúde, em geral.

Já tinha escrito este "artigo" quando, ao tentar mais uma vez inserir as fotos, descobri como se faz!
Obrigada a todas as que tentaram ajudar-me. O processo é bem simples: lá em cima aparece uma janelita que diz carregar ficheiro. É aí que estão as nossas fotos. É só clicar! Experimentem e depois digam se resultou.



Como já vos contei, queria pôr aqui a foto do Bolo de Aniversário que a S. escolheu para comemorar os seus 9 aninhos. Foi confeccionado pela sua Mãe , numa forma própria, em forma de taça. Ao desenformar, ficamos com a saia da boneca. Depois aplica-se o corpo da boneca e decora-se a gosto.
A receita do bolo veio da Marta Stwart ou da Nigella, que a memória já me trai...e eu não anotei.
E a cobertura foi feita com Chantilly, preparado com açúcar em pó, também chamado de confeiteiro.
O bolo foi aberto ao meio e recheado com uma mistura de morangos prèviamente partidos aos pedacinhos e envolvidos em um pouco de açúcar para criarem um xarope. Depois foram misturados com 2 ou 3 colheres de sopa de chantilly e espalhados sobre a metade - base. Colocou-se a outra metade e  cobriu-se a "saia"  toda com uma fina camada de Chantilly.
Depois, com um saco de pasteleiro de boquilha frisada, foi toda enfeitada com pequenas "rosinhas" e "cordão" em baixo. Do mesmo modo, foi feito o peitilho do vestido. A saia foi enfeitada a toda a volta com morangos e, no da frente, foi colocada a vela de aniversário.
Como não trouxe a receita, vou deixar-vos a minha receita de Pão de Ló que serviu sempre de base aos bolos de aniversário cá de casa. É um bolo muito leve e fofo que fica sempre bem seja qual for o recheio escolhido.

                   Pão de Ló

6 ovos (se forem g.des podem ser só 5)
1/2 chávena de açúcar (120g)
1 chávena de farinha (150g)

Batem-se os ovos inteiros com o açúcar até obter creme fofo e esbranquiçado.
Com a ajuda de um coador de rede, deita-se a farinha em chuva, a pouco e pouco, envolvendo cuidadosamente, de baixo para cima, com a colher de pau. Deita-se em forma untada e enfarinhada e leva-se a forno quente em temperatura média por cerca de 15 a 20 minutos. Faz-se o teste do palito.
Retira-se e deixa-se arrefecer.

Uma boa semana e até breve. beijinhos da
Bombom

VOLTEI!

 Ora Vivam!
Cá estou eu de volta ao Meu Estaminé!
Já abri as janelas de par em par para entrar o ar puro de mais um dia de Outono.
Ando aqui a dar a volta às "prateleiras e escaparates" cá da loja e a "repôr os stocks" para que tudo esteja "nos conformes" quando abrir a Loja a sério.
Já tinha saudades deste meu cantinho e do nosso convívio!
Como vos disse, fui de novo à terra de Sua Magestade para festejar os 9 aninhos da minha neta S.
Gostaria muito de vos oferecer a imagem do Bolo da Boneca que a sua Mamã fez e ficou muito bonito.
Acontece que ainda não consigo fazê-lo, depois desta actualização idiota do Blogger.com, que em vez de nos facilitar a vida, ainda veio complicar mais o sistema!...
Quando "clico" no inserir imagem, aparecem-me 3 referências :
- A partir deste blog (onde só aparecem as fotos já publicadas) ;
- A partir de albuns Web Picasa (onde ainda não tenho nada) ;
- A partir de um URL (para ir buscar uma foto de alguém, julgo eu) .
E não me deixa hipótese de as ir buscar ao meu próprio computador, onde tenho uma pasta só para O Meu Estaminé!
Esta "lamúria" toda é para vos enviar um "help"! Aconteceu isto com algum de vocês, que me lêem?
Alguém me dá uma pista para solucionar o problema? Ou terei de mandar passear o Blogger.com?!!!
Com ou sem fotos, abrirei O Meu Estaminé na segunda-feira.
Beijinhos da Bombom